AnaMaria

"Preciso salvar a minha filha de um parto prematuro"

Em consequência de um descolamento da placenta, Eliana deixa de apresentar seu programa no SBT

Fabricio Pellegrino e Júlia Arbex Publicado em 01/06/2017, às 11h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

A apresentadora Eliana teve um descolamento da placenta - Gabriel Cardoso/SBT
A apresentadora Eliana teve um descolamento da placenta - Gabriel Cardoso/SBT
No início de abril, Eliana, de 43 anos, anunciou sua segunda gravidez. Ela, que já é mãe de Arthur, 5, filho do produtor musical João Marcelo Bôscoli, revelou que esperava uma menina do diretor global Adriano Ricco. Na última semana, porém, um susto: em seu Instagram, a artista declarou que precisará se afastar da TV. O motivo? Ela sofreu um descolamento de placenta, o que poderia resultar no nascimento antecipado de sua bebê. “Preciso salvar minha filha de um parto muito prematuro. Sei que não depende só da minha vontade e do meu esforço, mas farei o impossível para trazer o meu fruto da melhor maneira que Deus permitir”, escreveu. Em seguida, anunciou que, sem poder se levantar para nada, deixará temporariamente de apresentar o Programa da Eliana. Para substituí-la, a emissora escalou Patricia Abravanel. A loira ainda agradeceu o apoio de Silvio Santos, do marido e, em especial, do filho: “Arthur me ajuda muito nesse desafio”. Abaixo, o desabafo da estrela sem cortes.

DESABAFO DE ELIANA NA ÍNTEGRA
“Fazemos tudo por nossos filhos e já estou cuidando da minha pequena ainda dentro da barriga com muita dedicação. Por conta de um desses acontecimentos que não podemos controlar, apenas aceitar, estou em repouso por ordens médicas. Farei de tudo para que ela cresça e se desenvolva da melhor maneira possível aqui dentro. Preciso salvar minha filha de um parto muito prematuro. Tive um descolamento da placenta. Sei que não depende só da minha vontade e do meu esforço, mas farei o impossível para trazer o meu fruto da melhor maneira que Deus permitir. Enquanto escrevo aqui na cama, sem poder levantar para nada, nada mesmo, lágrimas de dúvidas e medo escorrem pelo meu rosto. Mas tenho fé que em breve trarei boas notícias. Lidar com essa angústia é um exercício diário de paciência, consciência e amor. Arthur me ajuda muito nesse desafio. Ele está sempre comigo quando volta da escola. Este é o melhor momento do meu dia, pois seu astral e alegria enchem meu coração de esperança. Juntos, nós desenhamos, conversamos e brincamos na medida do que eu posso. Ele está até se divertindo ao escalar a minha cama, que é alta, quando vem fazer desenhos ao meu lado para relatar o seu dia. Seu carinho comigo e com a irmã emociona quem vê. Já passa a mãozinha na barriga e conversa com ela dando o seu “Oi, irmãzinha!” Não conheço criança mais doce que ele... Adriano e minha mãe também ajudam bastante. Sempre me doei em tudo o que fiz. Mas nunca fiz nada sozinha, pois estive cercada de pessoas igualmente envolvidas e dedicadas. Desta vez, agradeço a paciência de todos que me acompanham, incluindo meus queridos da produção, diretores do SBT e a família Abravanel, em especial ao Silvio Santos, pois pela primeira vez, em tantos anos, me retiro dos palcos temporariamente por um bem maior e com o apoio amoroso e sincero de todos. Tenho certeza de que a Patricia fará tudo com muito respeito, carinho e será um sucesso! Eu estarei assistindo realizada. É hora de me tranquilizar. Então, vou terminando por aqui. Acho que já escrevi demais. Agradeço, confio e entrego em suas mãos, Senhor. Em nome de toda a minha família, eu desejo que a sua seja abençoada. Já estou com saudade. Até breve!”

ENTENDA O QUE É DESCOLAMENTO DE PLACENTA
Segundo o ginecologista e obstetra Élvio Floresti Junior, pode acontecer dois tipos de descolamento na gravidez, especialmente
em mulheres com mais de 35 anos, fumantes, hipertensas, com sobrepeso ou com alguma sensibilidade no útero. Um deles é o descolamento ovular, que ocorre no primeiro trimestre da gravidez e é caracterizado pelo acúmulo de sangue entre o útero e o saco gestacional. Já o da placenta, caso de Eliana, mais comum no terceiro trimestre da gestação, aumenta o risco de o bebê ter problemas para crescer dentro do útero, de nascer prematuramente ou até mesmo de não sobreviver. “Nessa situação, se o descolamento for grande, é preciso fazer uma cesariana. Se for pequeno e o bebê ainda muito prematuro, os médicos esperam um
pouco mais e a futura mamãe terá que ficar em repouso até ocorrer o parto”, finaliza.