AnaMaria
Últimas Notícias / Alfinetadas

Sonia Abrão responde alfinetada de Suzana Vieira: ''Não preciso de você para nada''

Suzana Vieira chama Sonia Abrão de falsa e apresentadora rebate

Da Redação Publicado em 17/09/2019, às 20h49 - Atualizado às 20h49

Sonia Abrao - Reprodução/ RedeTV!
Sonia Abrao - Reprodução/ RedeTV!

Susana Vieira e Sônia Abrão deram o que falar na tarde desta terça-feira (17).

Após ser abordada pela reportagem do programa 'A Tarde é Sua', da RedeTV!, a atriz alfinetou a apresentadora: "Outro dia mandei um beijão para ela, para ela deixar de ser falsa comigo. Falar 'Susaninha Vieira, tão boazinha' e aí mete o pau em mim. Que feio, Soninha! Fala logo que não vai com a minha cara".

Sônia aproveitou o momento para explicar a origem do desentendimento com Suzana, causado por um comentário feito pela apresentadora quando o ex-marido da atriz morreu, em 2008. Na época, as duas trocaram farpas por falar da morte do ex-PM.

"Susaninha, eu tenho um defeito muito grande, me desculpe por isso: eu não guardo, não tenho uma lista eterna de ranço das pessoas. Passou, passou, e para mim isso já era águas passadas", respondeu, completando em seguida: "Falsidade você não vai achar em mim".

Sem papas na língua, Sonia ainda afirmou: "Não preciso de você para nada, e nem você precisa de mim, então estamos quites".

NOVA PERSONAGEM

Susana Vieira dará vida à Tia Emília na novela ‘Éramos Seis’, personagem interpretado por Nathália Timberg na versão de 1994. Com previsão de estreia para setembro, a trama é o quarto remake do romance de Maria José Dupré.

Emília será tia de Lola (Gloria Pires), a protagonista, uma mulher humilde e batalhadora. Viúva, ela mora em São Paulo, num luxuoso casarão, na companhia da filha Justina (Julia Stockler) e do mordomo Higino (Thiago Justino). 

Justina sofre de um distúrbio mental não diagnosticado pela medicina da época e, sem saber como lidar, Emília opta por mantê-la longe do convívio social, o que acaba limitando seus próprios relacionamentos. Ela é mãe também de Adelaide (Joana de Verona), que desde criança estuda em um colégio interno na Europa.

Mesmo tendo algum apreço pela família, Emília mantém-se longe das sobrinhas e, por conta desse isolamento, se tornou uma mulher amargurada e solitária, mas empenhada em fazer o que considera ser o melhor para suas duas filhas.