AnaMaria

Tandara, da seleção feminina de vôlei, é suspensa das Olimpíadas por violação do antidoping

Segundo o COB, a atleta deixou o Japão pouco após o anúncio

Da Redação Publicado em 06/08/2021, às 08h43 - Atualizado às 08h43

Brasil enfrentará a Coreia do Sul da semifinal da disputa - Instagram/@cbvolei
Brasil enfrentará a Coreia do Sul da semifinal da disputa - Instagram/@cbvolei

A seleção brasileira de vôlei feminino jogará com um desfalque nas etapas finais das Olimpíadas de Tóquio. Isso porque um dos destaques do time, a jogadora Tandara Caixeta, foi suspensa da competição após ser flagrada em uma “potencial violação da regra antidopagem” - quando há o uso, tentativa de uso ou porte de uma substância proibida. 

O anúncio foi feito pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), nesta sexta-feira (6). Em nota, a organização destaca que o teste foi realizado no dia 7 de julho, antes do período das Olimpíadas, no centro de treinamento de vôlei de Saquarema. Não foi especificado qual o tipo de violação cometido pela atleta, de 32 anos. 

Por sua vez, Tandara utilizou o Instagram para informar que “está trabalhando em sua defesa e só se manifestará após a conclusão do caso”. A atleta deverá retornar ao Brasil ainda nesta sexta-feira. 

Enquanto isso, a seleção brasileira não corre riscos de sofrer punições devido à conduta da jogadora. Acontece que, em esportes coletivos, o país só é punido quando três ou mais atletas forem flagrados no exame antidoping. O Brasil enfrentará a Coreia do Sul, às 9 horas, para uma vaga na grande final da competição. 

Confira o comunicado na íntegra: 

O Comitê Olímpico do Brasil recebeu nesta madrugada no Japão, através da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), a notificação quanto à suspensão provisória por potencial violação de regra antidopagem pela atleta Tandara Caixeta, da seleção feminina de voleibol. O teste foi realizado no período fora de competição no centro de treinamento da modalidade em Saquarema no dia 7 de julho. Tandara retornará ao Brasil.