AnaMaria

Uma gravidez dessas, bicho...

À espera das gêmeas, Ivete Sangalo exibe gravidez saudável e inspira com sua rotina de atividades físicas. Bora copiar o estilo?

Carolina Rossini Publicado em 13/12/2017, às 18h18 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Uma gravidez dessas, bicho... - Globo/Estevam Avelar/Reprodução instagram
Uma gravidez dessas, bicho... - Globo/Estevam Avelar/Reprodução instagram

Ivete Sangalo já confessou que suas filhas vêm fazendo uma bagunça digna de Carnaval na barriga. “Estou me achando demais”, comemora a rainha do axé, que tem dividido diariamente com os fãs os cuidados que toma para a segurança de sua gestação, como não pular muito nos shows. Ficar quietinha é um desafio para Ivete, que é ligada no 220v, mas a maternidade tardia não é mais um tabu para as mulheres. Com cuidados na alimentação e atividades físicas, é possível ter uma rotina normal na gestação. “Quando fiquei grávida do Marcelo, comia de tudo! Agora estou me segurando, tenho 45 anos e não há metabolismo que dê conta”, revela.

E exercícios? Pode?   

Ivete bate ponto na academia e posta no Stories do Instagram sua rotina de exercícios. A cantora é acompanhada do personal Joca Gonzales e executa sequências sentada para diminuir a tensão na musculatura abdominal. “Para quem já vem treinando há anos, a atividade é muito mais pensando no pósgravidez do que durante a gravidez”, explicou o personal. Em busca da boa forma, o pilates tem atraído as futuras mães por fortalecer o corpo, trabalhar a concentração e respiração – e pode aliviar e até mesmo eliminar dores nas costas. “Há apenas bons resultados para as mães e os bebês. Ioga e pilates são alternativas muito positivas”, recomenda a obstetra Silvana Mariano, de São Paulo. Heloiza Camargo, jornalista de 29 anos, que vive em Vitória (ES), investiu no pilates e garante que os exercícios foram essenciais na hora do nascimento de seu filho, de quase 2 meses. “Na hora do parto, fiz vários exercícios que aprendi e me concentrei muito na respiração, que ajudava a controlar a dor”, lembra.   

Agora é cuidar da cuca...

Não basta apenas o corpo em dia. Desde o princípio da gestação, é recomendável que a mulher faça o possível para se manter tranquila, já que o processo envolve mudanças hormonais, físicas e sociais. A meditação é uma opção perfeita: ajuda a controlar a pressão arterial, diminui os níveis de cortisol, adrenalina e ácido lático. Quando praticada após a 20 ª primeira semana de gestação, a meditação ajuda a combater o risco de pré-eclâmpsia. Além dos benefícios físicos, já foi comprovado que aumenta a conexão entre a mãe e o bebê, garantindo mais vitalidade e disposição para os dois. É questão de treino: sente-se confortavelmente por dez minutos todo dia e ocupe-se apenas de respirar. Quando os pensamentos vierem, tente afastá-los, pensando apenas no ar entrando e saindo... até ficar automático!                                                                                                                                                                           

Mas, afinal, o que grávida pode comer?

Amanda Polcheira, que trabalha com relacionamento com cliente em banco, em São Paulo, ganhou 26 kg na primeira gestação. Agora, grávida novamente, investe nas refeições prontas e saudáveis para não repetir a mesma briga com a balança. Pensando nas mulheres que não têm tempo, como ela, a chef Luciana Martins, do Na Cumbuca Comfort Food (SP), passou a atender gestantes. A ideia, em parceria com o sócio Ricardo Freitas, surgiu após ajudar uma amiga grávida a criar um cardápio balanceado de acordo com orientações da nutricionista. Amanda, sua cliente, está com 34 anos e no quinto mês de gestação, comemora os resultados obtidos até o momento: ela engordou 5 kg apenas até agora, dentro do esperado pelos médicos. Sem grana para isso, nem tempo para mudar seus hábitos? Peça ajuda a familiares para cozinharem para você quando estiver sem tempo. Mudar os hábitos da família toda nas refeições vai fazer bem e você vai se sentir melhor quando o bebê nascer. A nutróloga Cátia Damásio, de Campinas (SP), afirma que é importante usar produtos orgânicos, frescos e sem conservantes. Além disso, use pouco sal (que causa inchaço) e priorize temperos naturais (melhor evitar os industrializados!), carnes magras e muitas verduras escuras, que são primordiais principalmente no início da gestação, por serem fonte de ferro. Outra dica: diminuir a ingestão  de gordura é uma boa para amenizar os enjoos no primeiro trimestre. “Muita água, mas evite líquidos durante a refeição. É melhor não se deitar logo após comer também!”, aconselha.