AnaMaria

Ursa que inspirou livro de Rita Lee morre em decorrência de uma convulsão

Morre a "ursa mais triste do mundo", resgatada por Luisa Mell em 2018

Da Redação Publicado em 25/07/2019, às 09h22 - Atualizado em 18/08/2019, às 10h56

Rita Lee e ursa Rowena - Divulgação/Guilherme Samora
Rita Lee e ursa Rowena - Divulgação/Guilherme Samora

Marsha, a "ursa mais triste do mundo", morreu na manhã da última quarta-feira (24). Ela foi resgatada pela ativista Luisa Mell em meados de 2018.

Rebatizada como Rowena, a ursa possuía um tumor grave no ovário, que acabou ocasionando problemas em seu cerebelo. O reflexo da doença fez com que ela tivesse uma convulsão, culminando em sua morte.

ENTENDA

Marsha foi trazida para o Brasil há cerca de 40 anos. Durante aproximadamente duas décadas, ela foi utilizada como atração em diversos circos, e também foi exibida no zoológico de Teresina (PI). No entanto, o calor do estado fazia com que a ursa sofresse por conta de sua pelagem espessa.

Foi feita uma mobilização na internet durante o ano passado, que contou com a assinatura de 238 mil pessoas, pedindo para que a ursa fosse transferida para a serra da Mantiqueira, em São Paulo. Nesta ocasião, ela recebeu o apelido de "a ursa mais triste do mundo."

Ela foi resgatada pela Força Aérea Brasileira (FAB), e levada a São Paulo em setembro. Com isso, passou a morar em Joanópolis (SP), em um recinto com tanque e queda d'água, construído para ela pelo Instituto Luisa Mell.

Sua história serviu até mesmo de inspiração para a cantora Rita Lee escrever um livro: "Amiga Ursa", que conta a história de Rowena.

Ela será enterrada na manhã desta quinta-feira (25), no santuário em que viveu pelos últimos dez meses.