AnaMaria

Viviane Araújo: "Tenho dificuldade de demonstrar afeto"

A atriz confessa que não foi fácil encarar a maternidade na ficção

Roseane Campos Publicado em 17/02/2017, às 16h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Entrevista com Viviane Araújo - Fabricia Granatieri/Revista Contigo
Entrevista com Viviane Araújo - Fabricia Granatieri/Revista Contigo
Acostumada a ser vista como símbolo de sensualidade, Viviane Araújo agora é Edith, uma mãe de família bem tradicional na novela Rock Story. Na trama, a atriz é uma ex-dançarina que abdica da carreira para cuidar do marido, Nelson (Thelmo Fernandes), e dos filhos Tom (João Victor Silva) e Vanessa (Lorena Comparato). E ainda trata Julia (Nathalia Dill) como filha. Ela confessa que não foi fácil encarar a maternidade na ficção. “Eu tive dificuldades. Ela abraça e beija os filhos o tempo todo. Não sou melosa”, diz. A atriz fala de preconceito e diz por que adiou, mais uma vez, os planos de casamento com o jogador Radamés, de 30 anos, que atualmente joga no Boa Esporte, em Minas.


Você é ciumenta como Edith?
Sim, mas tento me controlar. Só mesmo se a coisa for muito descarada, aí eu falo. Eu me controlo, principalmente, se for na rua, quando chego em casa, a coisa muda um pouco [risos].


Já conferiu o celular dele, para ver se tem algum recado suspeito?
Às vezes, até olho o celular, mas não é sempre [risos]. Eu não tenho esse costume e ele também não.


É a primeira vez que interpreta uma mãe e você não tem filhos. Sentiu alguma dificuldade?
Sim. Eu sou uma superamiga, gosto de ajudar e quem me conhece sabe disso. Só que eu não demonstro carinho, afeto. Não sou melosa e quem gosta de mim, me aceita assim. Então, tive essa dificuldade, porque a mãe é sempre amorosa com o filho. Estou trabalhando muito isso para fazer o papel.


Você adiou seu casamento mais uma vez por trabalho?
Sim, mas estamos bem tranquilos e ele entende a importância desse momento para mim. Acho que teremos a nossa hora, como tudo na vida. Nada é quando a gente quer, e sim quando tem que ser.


E seus planos de ser mãe também foram adiados?
Também! Mas não fico pensando muito nisso. Estou com 41 anos e se tiver que fazer tratamento para engravidar, tudo bem, eu faço. Se não conseguir engravidar, adoto. 


Ainda existe o preconceito de que a mulher gostosa não é boa atriz?
Acho que comigo, agora, não tem mais isso, sou boa atriz e continuo gostosa [risos]. No início foi difícil. Aliás, nada na minha vida foi fácil. Só que não reclamo de nada. Tudo valeu a pena para eu chegar aonde estou hoje. Tudo é maravilhoso, por pior que seja a princípio.