AnaMaria

Whindersson Nunes divide sonho macabro com seguidores e relata mensagem subliminar

O humorista refletiu sobre o devaneio e tirou algumas lições do mesmo

Da Redação Publicado em 27/04/2020, às 14h34 - Atualizado às 14h34

Whindersson Nunes divide sonho nas redes sociais - Instagram/ @whinderssonnunes
Whindersson Nunes divide sonho nas redes sociais - Instagram/ @whinderssonnunes

Whindersson Nunes costuma divertir os seguidores nas redes sociais e nesta segunda-feira (27) não foi diferente.

O humorista usou seu Twitter para contar sobre um sonho inusitado que teve na última noite.

“Galera eu tive um sonho muito desgraçado, pareceu mais um purgatório, parece que eu morri umas 10 vezes e, em todas elas fui eu que me matei. Era um looping eterno de momentos da minha vida, em que algum amigo meu tentava me matar. Em todo tempo peregrinava me perguntando por que meu destino era morrer daquele jeito, moribundo”, escreveu ao dar início à descrição.

Ele continuou dando mais alguns detalhes sobre o ocorrido: “Era sempre a mesma sala e eu estava tão longe do mundo, que não tinha percebido que era uma ilusão. Todo tempo, um amigo armado, esperando eu dormir pra me pegar. Eu só tentava sempre não morrer feio. Eu quero sempre estar em um local que desse pra limpar porque eu sabia que era arma”.

O moreno afirmou que teve a impressão de que o devaneio estava tentando lhe mandar uma mensagem.

“Como se o sonho tivesse me dizendo que eu tenho paranoia com arma (e tenho, de achar que as pessoas estão armadas). Eu tentava ligar pra Anitta, Neymar, Inês Brasil, qualquer pessoa que pudesse me situar do mundo (...), perguntar se eu estava sonhando, mas não dava certo”, relatou.

Ao finalizar, o famoso mostrou estar bastante reflexivo: “No sonho eu já sabia que era hora e esse meu amigo começou a rir, porque eu disse: 'Vamos brincar de cada um mostra sua arma'. Mostrei minha mão e disse: 'Perdi. Me mata'. Ele riu: 'Por que acha que tem morte perto de ti? Perto de você só tem vida'. E eu acordei e disse: 'Meu Deus. Eu estou vivo!'. Sabe quando você acorda e pensa: 'Tá tudo aqui, tudo certo, era só um sonho e eu ouvi tudo que eu nunca quis ouvir (...). Eu morri para mim de todas as formas e, em todas elas, eu buscava motivos para acreditar até o último segundo”.