Youtuber Júlio Cocielo vira réu acusado de racismo após postagens nas redes sociais

Se condenado, a pena é de até cinco anos de prisão, além de multa de R$ 7,5 milhões

Da Redação Publicado quarta 16 setembro, 2020

Se condenado, a pena é de até cinco anos de prisão, além de multa de R$ 7,5 milhões
Júlio Cocielo tem mais de 14 milhões de seguidores no Instagram e 6 milhões de inscritos no Youtube - Reprodução/Youtube

O youtuber e influenciador digital Júlio Cocielo, 27, virou réu na Justiça após o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) o denunciar por racismo por causa de postagens nas redes sociais.

Segundo a promotora Cristiana Moeller Steiner, Cocielo fez diversas publicações de cunho racista entre novembro de 2011 e junho de 2018. Se condenado, ele pode pegar uma pena de 2 a 5 anos de prisão. 

No dia 2 de novembro de 2010, o youtuber publicou o seguinte texto: "(SIC) Porque o Kinder ovo é preto por fora e branco por dentro? Porque se ele fosse preto por dentro o brinquedinho seria roubado, KKK #maldade". 

Já em novembro de 2013, publicou: "Nada contra os negros, tirando a melanina...". Um mês depois, postou que "o Brasil seria mais lindo se não houvesse frescura com piadas racistas. Mas já que é proibido, a única solução é exterminar os negros".

Além disso, durante a Copa do Mundo de futebol de 2018, Cocielo escreveu que "Mbappé conseguiria fazer um arrastão top na praia, hein", referindo-se ao atleta. 

Segundo a promotora, os comentários do youtuber "reforçam os estereótipos contra os negros numa mídia de largo alcance, sua atividade profissional e sua fonte de renda, contribuindo de modo eficaz para a incitação e proliferação do racismo e de todas as suas consequências psíquicas, sociais, culturais, econômicas e políticas".

A MULTA

Além do processo criminal, o youtuber responde também a uma ação civil pública no qual o Ministério Público cobra uma indenização de R$ 7,5 milhões. De acordo com o colunista Rogério Gentile, do portal UOL, em matéria publicada nesta quarta-feira (19), Cocielo disse à Justiça ser humorista e nega ter praticado racismo, além de dizer ser afrodescendente, nascido em uma família pobre da periferia, e que sabe na pele o que isso significa. 

Último acesso: 20 Oct 2020 - 17:58:24 (1124168).