Acorde cedo sem sofrimento

Tudo o que você precisa saber (e fazer!) para despertar de manhã sem sono e cheia de disposição

Izabel Duva Rapoport

Acorde cedo sem sofrimento | <i>Crédito: iStock
Acorde cedo sem sofrimento | Crédito: iStock
O despertador toca e o seu “vale a pena ver de novo” matinal começa: ainda com sono, logo após o primeiro toque, você aciona a função soneca para ficar “só” mais cinco minutinhos na cama. Quando percebe, já está atrasada, pula do colchão, fica irritada... Em geral, a dificuldade para acordar tem um grande culpado: a privação do sono. E levantar com dívida nessa conta é prejudicial à saúde. “Compromete o desempenho físico e cognitivo. A pessoa fica mais cansada e pode ter perda de memória e falta de atenção”, diz a neurologista Andrea Bacelar, membro da diretoria da Associação Brasileira do Sono. Se você faz parte do grupo que trava uma luta diária consigo mesma para pular da cama de manhã, aposte nas medidas a seguir para acordar sem drama.

Despertador a seu favor
Essa função do relógio não tem a finalidade de acordá-la no meio do sono profundo, mas indicar a hora de levantar. Se acordar assustada com o toque, você não dormiu o suficiente. Deite mais cedo!

Rotina até no final de semana
O corpo não diferencia os sábados e domingos dos outros dias da semana. Então... “O ideal é não prorrogar seu período entre os lençóis para além de duas horas nem cochilar depois do almoço”, diz a especialista. Assim, à noite, na hora de voltar para a cama, a insônia passará longe de você e acordará disposta no dia seguinte.

Descubra o seu ritmo
Em média, as pessoas precisam de oito horas de sono, mas isso não é uma regra. Cada pessoa tem o seu ritmo biológico e precisa entender as necessidades individuais do organismo para se adequar às tarefas do dia a dia.

Adote bons hábitos
Se o sono não tem qualidade, nem adianta mudar horários. Primeiro, aprenda a dormir bem: 
✔ Evite alimentos gordurosos à noite para não ter digestões pesadas enquanto dorme. 
✔ Prefira o período da manhã para fazer exercícios. “O estímulo causado pela atividade física pode dificultar o início do sono”, explica Andrea. 
✔ Desligue o celular, o tablet e a televisão, pois, além do estímulo, a luz azul dos aparelhos eletrônicos inibe a produção de melatonina, hormônio que promove o sono. 
✔ Faça atividades relaxantes antes de dormir, como ler um livro ou conversar. 
✔ Ao despertar, abra a janela e receba a luz do sol. Se gostar, tome café ou chá. “Não havendo contraindicação, a cafeína é muito bem-vinda nesse horário”, conclui.  

Mude o horário aos poucos
Se acorda às 9 h, mas quer levantar às 7 h, passe dois dias levantando às 8h45. Depois, mais dois dias às 8h30 e assim por diante... Isso vale também para a hora de dormir. “Em média, o organismo se ajusta ao fuso horário trazendo o sono 15 minutos mais cedo a cada dois dias. Não adianta antecipar duas horas de um dia para o outro”, afirma Andrea. Impossível deitar mais cedo? Compense com uma hora de cochilo por volta das 14 h.

ALERTA
A indisposição persiste mesmo após nossas indicações? Procure um especialista, não abuse de medicamentos nem se automedique.

10/08/2017 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria