Coluna da Estopinha: Treino para fazer xixi no lugar certo

O treinamento pode ser aplicado em cães de qualquer idade, pois é relativamente simples

Alexandre Rossi

Coluna da Estopinha: Treino para fazer xixi no lugar certo | <i>Crédito: iStock
Coluna da Estopinha: Treino para fazer xixi no lugar certo | Crédito: iStock
A Marize, leitora da AnaMaria, tem um Yorkshire de 8 anos que não aprendeu a fazer xixi no lugar certo. Será que tem jeito, mesmo ele já sendo adulto? Tem sim, Marize! O treino pode ser aplicado em cães de qualquer idade, pois é relativamente simples. 

O que não pode 
Os cachorros não gostam de se aliviar perto da comida e da água, de locais movimentados e próximos a passagens nem ao lado da própria cama e brinquedos. O “banheiro” deve ser reservado. Ah, quando o tapete higiênico ou o jornal estão com xixi ou cocô, eles não gostam. Não use desinfetantes à base de amônia ou cloro na limpeza do local. Eles evidenciam o aroma das necessidades para os pets, que voltarão a fazê-las neste lugar.

O que pode
Limpe o local onde não quer que o cão suje. Certifique-se de que o odor foi neutralizado, pois ele costuma se aliviar onde sente o odor de urina e fezes. Retire a sujeira e neutralize com um degradador enzimático (à venda em pet shops). Deixe agir por duas horas, use produtos de limpeza e passe um repelente de ambiente. 

Treinamento 
Após anos sem saber onde se aliviar, não adiantam broncas e correções. Aposte em reforço positivo, ou seja, recompensar quando ele acertar. Se o cão não estiver bem condicionado ainda, uma bronca pode fazê-lo associar que fazer as necessidades é “errado”, e não o local. Estabeleça uma rotina: leve o animal ao “banheiro” e espere. Se ele acertar, dê petiscos, faça carinho. Assim, entenderá qual o local que gera coisas boas, além de ganhar sua atenção. Para a rotina ter sucesso, a alimentação deve seguir os mesmos horários, assim como a ida ao “banheiro” antes e depois das refeições. Ao acordar e depois de brincar pode surgir aquela vontade também. Se acontecer um “acidente”, finja que não viu e limpe quando o cão sair. Assim, não terá a sua atenção, que, para ele, é uma recompensa. 

CURIOSIDADE
Menos é mais!
Se for severo demais com o cão, você pode acabar com as chances de ele aprender. As correções devem ser feitas com cautela e adequadas a cada animal. Pet inseguro, diante de uma bronca forte, pode não assimilar o treinamento. 

PERGUNTA QUE A ESTOPINHA RESPONDE

“Estopinha, você costuma latir muito? O meu vira-latinha late o dia inteiro... e eu nunca sei exatamente o que ele quer.” 
Andressa Gallo, Guarapari, ES

Tia, se a gente vai falar de latido, acho que eu vou chamar o Barthô, viu?! (risos). Mas agora, falando sério, as tias dão aulinha para eu não ficar latindo muito. No entanto, na hora que a gente tá brincando e conversando, tem que latir, né? Afinal, esse é o nosso jeitico de conversar e fazer bagunça (risos).

Alexandre Rossi é zootecnista e especialista em comportamento pet. Autor de livros e fundador da Cão Cidadão (empresa de adestramento e consulta comportamental), comanda o quadro Desafio Pet (Programa Eliana/SBT), Missão Pet (Nat Geo) e É o Bicho (BandNews FM). caocidadao.com.br

Envie suas sugestões e perguntas para o e-mail anamaria@maisleitor.com.br

03/08/2017 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria