Todas as mulheres são irmãs! Vamos juntas?

Saiba o que é sororidade e aja com todas as mulheres como age com suas amigas. A vida fica melhor!

Luciana bugni

Todas as mulheres são irmãs! Vamos juntas? | <i>Crédito: Shutterstock
Todas as mulheres são irmãs! Vamos juntas? | Crédito: Shutterstock
Você certamente já ouviu a palavra fraternidade.  Ela expressa o sentimento de irmandade masculino. Mas existe uma expressão semelhante para indicar a mesma situação entre mulheres: o nome disso é sororidade. A palavra tem sido cada vez mais usada nos últimos tempos, devido à propagação dos movimentos a favor da mulher nas redes sociais. 
O conceito é simples: mulheres não são inimigas, elas podem se ajudar. Em todos os momentos.
Um exemplo? Quando você está passando por aquela rua escura no caminho do ponto de ônibus até a sua casa morrendo de medo e vê uma garota ao seu lado, na mesma situação... que tal convidá-la para irem juntas? É uma boa maneira de se sentir protegida. Foi essa ideia que deu um clique na cabeça da jornalista Babi Souza, de Porto Alegre.
Em uma dessas situações de perigo, ela percebeu que várias mulheres correriam menos risco que apenas uma. A ideia foi o motor para a criação do movimento “Vamos juntas?”, no Facebook, em 2015, que logo virou livro (Editora Galera, R$ 27,90). Veja algumas dicas de Babi sobre isso.



Sororidade:

Grupo de irmãs. Reunião entre mulheres que se reconhecem irmãs, formando um grupo político e ético na luta pelo feminismo contemporâneo



Machismo ainda existe?

É o comportamento expresso por opiniões ou atitudes de uma pessoa que não aceita a ideia da igualdade de direitos e deveres entre os gêneros sexuais, favorecendo o sexo masculino. Algumas ideias machistas que estão diretamente em nossa vida:

■ Mulheres precisam ser recatadas para não perderem o valor.
■ A responsabilidade sobre a limpeza da casa é unicamente da mulher.
■ A responsabilidade sobre os filhos é sempre mais da mulher.
■ As mulheres não têm capacidade de fazer certos trabalhos, como dirigir, por exemplo.
■ Mulheres estão no mundo para competir por homens e eles são o centro das relações.
■ Mulheres não têm capacidade de criar laços entre elas e são naturalmente rivais. Tenha dó, né?



10 formas de colocar em prática


1 Não enxergue as mulheres à sua volta como rivais só por serem mulheres.

2 Não use critérios diferentes para julgar homens e mulheres.

3 Quando uma menina sofrer algum tipo de assédio ou violência sexual, não ache que foi culpa dela.

4 Não estimule os sentimentos de inveja ou rivalidade entre mulheres à sua volta.

5 Se sua amiga for traída pelo namorado, não coloque a culpa na outra menina envolvida.

6 Quando uma desconhecida precisar de ajuda, coloque-se à disposição.

7 Não incite qualquer tipo de competição entre suas amigas.

8 Tente não criticar abertamente as mulheres à sua volta.

9 Não responsabilize suas amigas pelos filhos ou pela limpeza da casa.

10 Na próxima vez em que estiver em uma situação de risco na rua, observe: ao seu lado pode haver outra mulher passando pela mesma insegurança. Que tal irem juntas?



Una-se às mulheres ao redor

"Aconteceu comigo, cerca de duas semanas atrás. Era uma noite de domingo e uma senhora, quando me viu, parou na calçada para me esperar. Estava saindo do teatro e eu indo para casa. Eu a deixei na porta de seu prédio. Muito show a iniciativa, parabéns!”
Bruna Fernanda Suplitz, Porto Alegre, RS


"Reparei que uma moça estava encolhida no canto e um cara quase em cima dela. Meu coração disparou, levantei e falei: ‘Ei, menina, quanto tempo! Que saudade!’ O homem se levantou.”
Laís Fraga, São Paulo, SP


"Outro dia, voltando do médico, tive de passar por um caminho deserto e pouco iluminado. Olhei para trás e vi uma menina que também estava andando super-rápido. Notei que ela diminuiu o passo quando se aproximou de mim. Deixei que ela me alcançasse e andamos lado a lado, sem falar nada, até uma avenida mais movimentada. Pode parecer bobeira, mas mesmo sem dizer uma palavra, mesmo sem conhecer aquela menina, sei da importância que a minha companhia teve para ela e a dela para mim. Como é bom não estar sozinha!” 
Mariana Lucas, Vitória, ES

13/06/2016 - 11:00

Conecte-se

Revista Ana Maria
Coleção CARAS