Você no azul: vai pagar à vista ou a prazo?

Há boas vantagens nessa forma de pagamento: além de resolver a pendência financeira de uma única vez, normalmente você consegue descontos interessantes

Marcela Kawauti

Você no azul: vai pagar à vista ou a prazo? | <i>Crédito: Shutterstock
Você no azul: vai pagar à vista ou a prazo? | Crédito: Shutterstock
"Sempre tive esta dúvida: comprar à vista é mesmo o melhor caminho?”

B.M., por e-mail


Sim, em geral recomendo sempre comprar à vista. Há boas vantagens nessa forma de pagamento: além de resolver a pendência financeira de uma única vez, normalmente você consegue descontos interessantes. E mesmo que tenha um investimento com bons rendimentos, a taxa de juros que remunera o valor investido é quase sempre menor do que os juros das compras a prazo. Ou seja, se optar por deixar o dinheiro aplicado para comprar parcelado, terá como rendimento uma taxa de juros menor do que aquela que corrigirá a sua dívida. Ainda assim, muita gente escolhe parcelar por achar que jamais conseguiria guardar dinheiro para comprar o bem à vista. O exemplo a seguir, no entanto, mostra que para bens de valor médio é vantajoso fazer uma economia para quitar tudo de uma vez, mesmo que isso exija um pouco mais de paciência. Um carro que custa R$ 30 mil à vista, se financiado por três anos, terá parcelas mensais de cerca de R$ 1.200. No final, você desembolsará mais de R$ 42 mil. Ou seja, leva um automóvel para casa e paga quase um automóvel e meio. Além disso, demorará três anos para quitar a dívida. Agora, se guardar os R$ 1.200 todos os meses, terá juntado um pouco mais de R$ 30 mil em dois anos. Ou seja, se decidir esperar para comprar o carro, poderá fazê-lo em menos tempo do que na compra a prazo e ainda tem a chance de ganhar um bom desconto. Será que existe algum caso em que a compra a prazo é a mais indicada? Sim, mas apenas se você tiver urgência na compra ou no caso de bens muito caros (casa própria, por exemplo), em
que o financiamento pode ser uma boa saída. Ainda assim, devemos checar se o valor da parcela mensal é compatível com nosso orçamento.


A importância da entrada
Quanto maior, melhor! Se você der uma boa entrada, acabará financiando menos, o que no final das contas significa menos
dinheiro jogado fora com os juros. Além disso, como o período de financiamento é menor, as parcelas serão mais baratas. Por isso, mesmo se decidir que não irá guardar o dinheiro para pagar à vista, vale economizar para a entrada.


E os gastos acessórios?
Geralmente, na hora de financiar um bem, as pessoas pensam apenas na parcela e se esquecem dos gastos acessórios, que são
especialmente pesados nos casos da compra de casa ou carro. Junto com este último, vêm custos com gasolina, seguro, estacionamento e manutenção. No caso da casa própria, há o condomínio, os móveis e até as reformas... Ponha tudo na ponta do lápis!


Marcela Kawauti é formada em economia pela USP e tem mestrado da FGV. Com mais de dez anos de experiência, é economista-chefe do SPC Brasil e colaboradora do portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz.


Envie suas perguntas para Marcela Kawauti pelo e-mail anamaria@maisleitor.com.br

17/11/2016 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria