Doença de Chagas: problema tem sido associado ao consumo do açaí

Conversamos com quatro infectologistas, que explicaram tudo sobre a doença

sábado 15 dezembro, 2018
O desconhecimento em relação à doença é comum
O desconhecimento em relação à doença é comum Foto:Banco de Imagens/Getty Images

A doença de Chagas, ou Tripanossomíase americana, é a infecção causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi. Apresenta uma fase aguda que pode ser assintomática ou não, podendo evoluir para as formas crônicas caso não seja tratada precocemente com medicamento específico.

O desconhecimento em relação à doença é comum, mesmo em áreas endêmicas, como a região Norte (68%). 

Notícias Relacionadas

De acordo com o Ministério da Saúde, os casos da doença na forma aguda mais do que dobraram de 2010 a 2017, passando de 136 para 356 no país. 

A seguir, conheça as causas, os sintomas e as maneiras de se prevenir.

FORMAS DE TRANSMISSÃO
“A transmissão clássica ocorre quando o barbeiro infectado pica o ser humano e deixa suas fezes com parasita na pele, entrando no sangue.

Porém, hoje predomina a via oral, em que o barbeiro infectado pousa e defeca no alimento, como cana-de-açúcar e açaí, ou cai na máquina de moagem e é triturado com o alimento.

Ao ingerir, a pessoa é infectada. É possível também que a doença seja congênita (quando a mãe transmite para o filho durante a gravidez) ou, ainda, infectar alguém via transfusão de sangue ou transplante
de órgão de uma pessoa com a doença”, explica Celso Granato, infectologista do Fleury Medicina e Saúde.

AS FASES E OS SINTOMAS
De acordo com Renato Satovschi Grinbaum, infectologista e professor de Medicina da UNICID (SP), a doença é variável e cada  contaminado pode ou não passar pelos estágios da doença. 

“A forma aguda, que ocorre oito a 12 semanas após a contaminação, pode passar como um resfriado comum. Mas alguns casos são mais intensos e o médico consegue suspeitar devido a sintomas como inchaço e vermelhidão no local da picada, dores no corpo e aumento do tamanho do fígado e do baço.

Caso a doença não seja tratada, o parasita entra em incubação - como se ele se escondesse no organismo e, lentamente, provocasse dano.

Nesta situação, o portador só é identificado se fizer um exame de sangue, pois a maioria não apresenta sintoma. O parasita pode acometer o coração, provocando distúrbios no funcionamento deste órgão. 

Outros terão manifestações em trato digestivo, com enfraquecimento dos músculos do esôfago ou intestino, levando à dificuldade para engolir ou para evacuar.  Estes órgãos podem se dilatar e praticamente parar de funcionar”, esclarece ele.

TEM CURA?
O tratamento é realizado de acordo com a fase do paciente. Para o estágio agudo, são usados medicamentos específicos para eliminar o protozoário da corrente sanguínea e dos tecidos. 

Já na fase crônica, o tratamento tem como foco as manifestações da doença, controlando os sintomas e evitando complicações”, afirma Marcelo Mendonça, infectologista do Hospital Santa Paula (SP).

PREVENÇÃO
Não existe vacina para a doença de Chagas. A prevenção está ligada ao combate do inseto transmissor, na melhoria das condições habitacionais e na conservação das casas, principalmente em áreas rurais. 

Além disso, é importante a higienização correta dos alimentos, principalmente in natura. Percebeu que um lugar tem condição de higiene duvidosa? Evite comer ali”, diz João Prats, infectologista da Beneficência Portuguesa de SP.
 

Júlia Arbex
Leia Mais:

Receba em Casa

Vídeos

BEM-ESTAR

  1. 1 Dor de ouvido, não! Veja 5 dicas para evitar otites no verão
  2. 2 Padre Marcelo dá dicas para você ter um 2019 abençoado
  3. 3 Luiza Brunet mostra mamografia; veja 7 mudanças no corpo que pedem exame
  4. 4 Faça você mesma: veja massagem que ajuda a desinchar as pernas e a barriga
  5. 5 Pergunte ao especialista: ''É verdade que bebidas geladas prejudicam a voz?''