AnaMaria
Coronavírus / Pandemia

Cresce 61% número de internações de crianças e adolescentes em São Paulo

Já são 171 menores de 18 anos internados em São Paulo

Da Redação Publicado em 19/01/2022, às 15h34

Cresce internações de crianças e adolescentes em SP. - Pixabay
Cresce internações de crianças e adolescentes em SP. - Pixabay

O número de hospitalizações de crianças e adolescentes subiu 61% em São Paulo. O governador, João Dória, anunciou o fato em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (19).

Nos últimos dois meses, a quantidade de menores de 18 anos internados na UTI no estado saltou de 109, em novembro de 2021, para 171, em janeiro deste ano.

A média móvel de menores de 18 anos também cresceu em 49%. A média foi de 113 em 15 de novembro para 169 nesta segunda-feira (17).

PICO DA VARIANTE ÔMICRON

A variante Ômicron é responsável por boa parte das últimas infecções pelo coronavírus. E, especialistas afirmam, que o Brasil ainda deve atingir o pico de contaminações.

Segundo Ethel Maciel, epidemiologista e professora da Universidade Federal do Espírito Santo, este pico deve acontecer nas próximas duas semanas como consequência das comemorações de Natal e Ano Novo. “As festas de fim de ano no geral demoram duas semanas para que tenhamos o pico de contaminação. E a gente ainda está em um período de férias, onde muitas pessoas tendem a aglomerar”, afirmou em entrevista à CNN na última terça-feira (18).

“Estamos seguindo os dados de outros países que fazem muitos testes, mas acredito que ainda não chegamos no nosso pico”, ressaltou. A professora ainda pontuou a dificuldade em se obter dados claros, que deem um panorama completo da situação do país por causa do ataque cibernético, e consequente apagamento de dados, do Ministério da Saúde e falta de testes para covid-19.

Atualmente, o país vive a pior média móvel de casos desde junho do ano passado. O número de pessoas infectadas com coronavírus aumentou em 193% na última semana.

VACINAÇÃO EM CRIANÇAS

Mas, tempos melhores estão vindo com a vacinação! Na última sexta-feira (14), a primeira criança foi vacinada em São Paulo. O menino Davi, indígena xavante de 8 anos, abriu a fila da faixa de 5 a 11 anos no país. Davi mora, e foi vacinado, em Piracicaba, interior de São Paulo.

Davi tem deficiência motora rara e recebe tratamento especializado no Hospital das Clínicas. Ele tomou a primeira dose da vacina da Pfizer/BioNTech, o único imunizante aprovado até o momento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser aplicado em crianças de 5 a 11 anos. A vacina é feita especialmente para esse público: a dosagem é menor do que a que está sendo aplicada em adultos.