AnaMaria

Família que emagrece unida...

Convencer a todos em casa a mudar de hábitos por uma vida mais saudável é a chave para o sucesso das dietas

Izabel Duva Rapoport Publicado em 25/10/2017, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Família que emagrece unida... Convencer a todos em casa a mudar de hábitos por uma vida mais - Shutterstock
Família que emagrece unida... Convencer a todos em casa a mudar de hábitos por uma vida mais - Shutterstock
Resistir às tentações dos almoços em família não é tarefa fácil para quem quer emagrecer. Agora, se em casa todo mundo estiver
no mesmo barco, a coisa fica mais simples! Caso consiga convencer marido, filhos e afins a mudar o estilo de vida com você, além de encontrar motivação para a sua própria dieta, ainda estimulará hábitos saudáveis dentro de casa. “Alterar a forma de se alimentar e abandonar o sedentarismo é importante, mas não é fácil. Se você tiver o apoio de alguém que sofre com as mesmas dificuldades, as chances de desistir são bem menores”, afirma Flavia Salvitti, nutricionista do Hospital San Paolo (SP). Para ela, quando um está desanimado – o que é comum, principalmente nos primeiros dias –, o outro dá uma força e ajuda a pensar em alternativas para superar os obstáculos. Confira a seguir dicas valiosas da especialista para perder peso e ganhar mais saúde em família.

Trocas inteligentes
Reveja o que escolhe para o dia a dia. “Com alimentos saudáveis na cozinha fica mais fácil convencer todos a comerem bem”, diz Flavia. E mude os preparos: troque frituras por assados e reduza o sal e o açúcar.

O valor de cada um
Considere as preferências de todos para elaborar o cardápio. “Se alguém ficar de fora, pode se sentir contrariado ou excluído e desistir da reeducação”, avisa. Necessidades nutricionais diferentes também devem ser respeitadas.

Lista coletiva
A participação coletiva na elaboração da lista de compras ajuda a saber o que o grupo gosta de comer. “Consenso é a chave para o êxito na mudança de hábitos”, destaca a especialista. 

Mãos na massa 
Chame o pessoal para ajudar no preparo das comidas. As crianças podem lavar os alimentos. Assim, todos se integram e compreendem a importância das refeições.

Todos à mesa
É raro encontrar famílias juntas à mesa sem distrações, como televisão e celular. “Em geral, todos se alimentam separadamente e distraídos. Isso não é bom”, conta. Flavia explica que a sensação de saciedade vem mais rápido quando a atenção está na comida e evita que as pessoas comam mais do que precisam.

Regras definidas
Crie o dia das frutas e escolha uma por semana. Se terça-feira for a vez da banana, todos têm de incluí-la em algum momento do dia. Outra regra: sempre ter, no mínimo, cinco cores diferentes nos pratos principais.

Sai pra lá, guloseimas!
Biscoitos recheados podem ser trocados por versões ricas em fibras, por frutas secas ou iogurte com frutas. Bolos simples, como os de cenoura, fubá e mandioca podem substituir os recheados. Refrigerantes e bebidas alcoólicas dão lugar aos sucos naturais, água e água de coco.

Não desanime
A motivação é o grande diferencial da dieta em família. “É natural que, no início, às vezes, falte ânimo e dê vontade de desistir”, conta Flavia. Um companheiro que lembre as metas já alcançadas e a importância da reeducação ajuda muito.

Pelo bom humor
Contra o aborrecimento repentino, vá de alimentos ricos em triptofano, como banana, abacate, ervilha e beterraba. “A substância ajuda a reduzir a ansiedade e controlar as alterações de humor”, explica.

Driblando os desafios
A maior dificuldade para a família é se adaptar a hábitos comuns. “Os gostos variam e, no começo, as refeições podem desagradar a alguns”, conta. Isso pode acontecer com os exercícios físicos também. Para superar os desafios, todos têm de ceder e experimentar coisas novas.

Brinque!
Para os sedentários, não é fácil começar a se exercitar, mas a família pode ajudar. No fim de semana, vá a um parque ou lugar que possam praticar atividades como caminhada ou passeios de bicicleta. No dia a dia, troque os eletrônicos por brincadeiras simples e que estimulem o movimento, como pular corda, por exemplo.

Não sabe como convencer a família?
Falar de saúde é o primeiro passo. “As pessoas precisam entender os benefícios de hábitos de vida mais saudáveis e os riscos que a obesidade traz, como diabetes tipo 2, doenças cardíacas, colesterol alto, pressão alta e AVC”, alerta Flavia.

Para refletir
■ Fique atenta, principalmente, aos hábitos das crianças. Quanto mais cedo a alimentação saudável fizer parte da vida delas, mais fácil será mantê-la pelo resto da vida.
■ Propor dieta, reeducação alimentar e exercícios físicos de uma vez pode assustar. Então, vá aos poucos. Os pequenos resultados
estimulam todos a fazerem mais.
■ Caso ainda não tenha apoio da família, não interrompa seus planos. A melhora na sua saúde será vista por todos e você acabará estimulando o pessoal a se esforçar também.


“Um motiva o outro”
O casal Lidiane Barcelos, 35 anos, e Thiago Ferreira Correia, 33, mudou o estilo de vida para aumentar a família. “Não queremos transmitir maus exemplos e nem que nossos filhos sejam alvos de preconceito por conta do peso e da má alimentação”, afirma ela. Antes de engravidar, Lidiane passou a frequentar o programa Vigilantes do Peso e perdeu 26 kg. O marido a acompanhou e secou
41 kg. Após o nascimento dos gêmeos, Julia e Mateus, de 8 meses, o casal seguiu secando. “Em nove semanas, perdi 6 kg e meu
marido, 18 kg”, conta. Para ela, dieta em família faz com que todos ganhem saúde e qualidade de vida. “Fazemos os cardápios e
caminhamos juntos. Se um desanima, o outro dá aquele gás. Basta lembrarmos um do outro e, principalmente, dos nossos filhos”, diz ela.

Entre no site e veja duas receitas deliciosas e que vão agradar a toda família: bit.ly/2v4keiN