AnaMaria
Famosos / Polêmica

Anitta e Bolsonaro trocam farpas nas redes sociais: "Ai, garoto, vai catar o que fazer”

Discussão entre Anitta e Bolsonaro foi motivada pelas cores da bandeira do Brasil

Da Redação Publicado em 17/04/2022, às 11h25

Cantora explicou possível estratégia do presidente para as próximas eleições - Divulgação/Paulo Pimenta
Cantora explicou possível estratégia do presidente para as próximas eleições - Divulgação/Paulo Pimenta

Anitta e Jair Bolsonaro (PL) discutiram através do Twitter no último sábado (16). O motivo inicial foi a apropriação das cores da bandeira do Brasil pelos apoiadores do presidente. Depois, a cantora publicou uma longa explicação sobre o que acredita serem as estratégias do candidato à reeleição nas Eleições 2022.

Tudo começou quando Anitta se manifestou sobre a escolha de roupas verdes, amarelas e azuis em sua apresentação no festival Coachella. “A bandeira do Brasil e as cores da bandeira do Brasil pertencem aos BRASILEIROS. Representam o BRASIL em GERAL. NINGUÉM pode se apropriar do significado das cores da bandeira do nosso país. Fim”, declarou ela.

Em tom debochado, Bolsonaro repostou a publicação da artista e escreveu: "Concordo com Anita", ao lado de diversos emojis com a bandeira do Brasil. Ao que ela respondeu: "Ai, garoto, vai catar o que fazer, vai".

Foi então que Anitta decidiu bloquear o presidente nas redes sociais, segundo ela, para garantir que ele não se aproveitasse da situação para gerar mídia. “Meti logo um block pra esses adms dele não ficarem usando minhas redes sociais para ganhar buzz na internet", disse.

NOVA ESTRATÉGIA?

A cantora aproveitou a discussão para explicar uma possível estratégia do político para angariar votos nas próximas eleições presidenciais. “Eles estão com uma equipe de redes sociais mais jovem e descolada para justamente passar essa imagem dele. Fazer o público esquecer as merd*s com piadas e memes da internet que façam o jovem achar que ele é um cara maneirão, boa praça”.

Ela continuou: “Então, nesse momento, qualquer manifestação contra ele por meio dos artistas vai ser revertida em forma de deboche pelas mídias sociais dele. Assim, o artista vira o chato mimizento e ele o cara bacana que leva tudo numa boa”.

Anitta garantiu que tem propriedade no assunto ao assumir que ela mesma já apostou na estratégia. “Já passa a ser mídia boa quando você cita o nome dele, não faz diferença se você citou de forma negativa ou positiva. Porque, quanto mais você cita de forma negativa, mais mídia ele alcança e usa essa mídia para destinar ao que ele quer. Já usei essa estratégia algumas vezes, por isso sei bem o que tá rolando, rs”, declarou.

Segundo ela, um indício disso é o uso de músicas de artistas declaradamente contrários ao governo nos Stories de Bolsonaro nas redes sociais. Diante disso, a ‘Girl From Rio’ garantiu que evitará citar o nome do político até outubro, mês das eleições.

“Eu trocaria o ‘slogan’ ‘fora fulaninho’ para ‘muda Brasil’ ou algo que desvincule completamente a narrativa do nome dele. Pois isso, no momento, só vai dar mais mídia e, consequentemente, mais força. Vocês não me verão falando ‘fora fulaninho’ até as eleições acabarem. E sugiro a quem for contra ele fazer o mesmo”, finalizou ela.