AnaMaria
Famosos / Futebol

SBT perde Libertadores para Globo e narrador lamenta: “Nunca uma emissora fez o que a gente fez”

Após transmitir Libertadores durante os três últimos anos, SBT perde competição para Globo

Da Redação Publicado em 14/05/2022, às 10h25

Téo José lamenta perda de transmissão da Libertadores da América - Instagram/@teojose1
Téo José lamenta perda de transmissão da Libertadores da América - Instagram/@teojose1

O SBT lamentou a perda dos direitos de transmissão da Libertadores na última quinta-feira (12). Isso porque a emissora que transmitiu as últimas três edições do campeonato teve que passar o bastão para a TV Globo. 

Em entrevista ao jornal LANCE!, o narrador Téo José falou sobre o ocorrido. O profissional, que foi contratado em 2020 pelo SBT para narrar os jogos da Libertadores, exaltou o trabalho feito pela emissora durante a cobertura da competição.

"A gente vai fazer a mesma coisa que com a Libertadores da América que chegou agora no topo em termos de disputa de direitos, valores e interesse. Espero que quem ficou com ela faça o mesmo trabalho por que a gente deixou ela em um patamar bem alto. A prateleira tá alta. Eu espero que eles mantenham na prateleira alta. E vamos fazer o mesmo com a Sul-Americana”, afirmou.

Embora as próximas edições da Libertadores sejam transmitidas pela TV Globo, Téo José revela que irá dar o seu máximo até o final dessa temporada. Apesar de perder os direitos para a Globo, o comunicador destacou que tem muita emoção para transmitir até o final desta temporada.

"A saída da Libertadores não aconteceu ainda. Temos um campeonato lindo pela frente. Estou sentindo que vai sair mais uma final brasileira. As duas últimas foram no SBT. A melhor cobertura em TV aberta foi a gente que fez: essa última entre Flamengo e Palmeiras. Nunca uma emissora fez o que a gente fez, ficar tanto tempo no ar antes, durante e depois e com conteúdo", destacou com orgulho.

Depois de fechar com a Conmebol acordo válido por quatro anos, TV Globo irá transmitir a Libertadores da América de 2023 a 2026.