Paolla Oliveira: “Devemos levantar a bandeira do feminismo”

No ar como a delegada Jeiza, de A Força do Querer (Globo), Paolla Oliveira fala sobre a quebra de preconceitos proposta por sua personagem

Roseane Santos

Paolla Oliveira: “Devemos levantar a bandeira do feminismo” | <i>Crédito: Cadu Pilotto/Revista Contigo
Paolla Oliveira: “Devemos levantar a bandeira do feminismo” | Crédito: Cadu Pilotto/Revista Contigo
Paolla Oliveira, 34 anos, aparece de um modo que o público nunca viu em A Força do Querer. Dando vida a Jeiza, uma delegada que luta MMA, a atriz procura não só mostrar a sua versatilidade, mas também romper o estereótipo que insistem em cravar nas mulheres que praticam algum tipo de esporte que exige muita força, o que, na maioria das vezes, está relacionado ao universo masculino. “Muitas pessoas acham que só porque ela é policial e lutadora, também é homossexual. Eu não teria problema algum em interpretar uma personagem gay, mas acho que essa ligação automática que fizeram com a maneira de ser dela é puro preconceito”, defende.

Como o público reagiu ao saber que você seria uma lutadora? 
Muitas pessoas acham que só porque Jeiza é policial e lutadora, ela é homossexual. Não sei de nada disso, não tem nada sobre ela ser homossexual ou que, sei lá, namoraria a Isis Valverde (risos). Eu não teria problema algum em interpretar uma personagem gay, mas acho que essa ligação automática que fizeram com a maneira dela ser, é puro preconceito. 

Acha que ainda existe muito preconceito contra as mulheres? 
Jeiza representa o feminismo. O fato de estarmos em um momento em que se fala tanto do empoderamento das mulheres dá mais força à personagem, embora ela coubesse em qualquer outra época. A bandeira do feminismo tem que ser levantada todo dia. E faço a minha parte.

Você já se acostumou com o mundo do MMA? 
Além de treinar, passei a entender e assistir a mais lutas na televisão. Agora, até sei os nomes dos golpes e torço para os lutadores. Então, quando vejo uma luta, fico gritando os nomes e as pessoas até se assustam (risos).

Já quis dar um golpe em alguém? 
Ah, quem nunca pensou nisso (risos)? Só que a luta não incentiva a agressividade, pelo contrário. Lutar, inclusive, faz com que as pessoas aprendam a se controlar mais. 

O seu treino e alimentação mudaram para viver a Jeiza? 
Sim, o treino é mais pesado. Parece que é uma força mais controlada, mais contida e o esforço precisa ser dobrado. A alimentação não sofreu grandes mudanças. Quando olho para algo e me parece gostoso, penso logo: isso não é para comer (risos). 

O CABELO DO SUCESSO
Antes de assumir o look loiríssimo de Jeiza, Paolla usava fios mais escuros. Para a transformação, foi convocado o cabeleireiro Tiago Parente. 

LOIRAÇA 
Ao avaliar a personagem, uma policial sem tempo para vaidade, o profissional apostou em um loiro dourado. Para chegar ao resultado incrível que vemos na novela, investiu em um loiro natural, monocromático com balayage. 

O CORTE 
Os fios retos ganharam ajuda de um megahair capaz de aumentar o volume da cabeleira. A franja que está com um comprimento mais curto, foi repicada para evitar um visual chapado.

OS CUIDADOS 
Todo cabelo com química requer atenção para evitar que fique seco e quebradiço. O loiro de Paolla não é diferente. Ao site da Marie Claire, Tiago recomendou alguns cuidados: hidratação semanal em casa e nutrição profunda no salão a cada 15 dias; xampus específicos para fios quimicamente loiros; não lavar os cabelos todos os dias. Vai à praia ou piscina? Para evitar que os fios fiquem esverdeados, invista em um condicionador com protetor solar.

08/08/2017 - 10:00

Conecte-se

Revista Ana Maria