AnaMaria

Autoajuda: Uma jornada de cura

Saiba como identificar a ferida emocional que atrapalha a sua saúde, suas relações e a sua felicidade. Aí é com você dar a volta por cima

Júlia Arbex Publicado em 26/09/2017, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Autoajuda: Uma jornada de cura - iStock
Autoajuda: Uma jornada de cura - iStock
Para a filósofa Lise Bourbeau, carregamos crenças e emoções geradas na infância, que são responsáveis pela maioria dos nossos problemas. E com o passar da vida, criamos mecanismos para nos proteger dessa dor e até fingir que ela não existe. Isso é ruim porque deixamos de ser quem somos. No livro As Cinco Feridas Emocionais, a autora mostra como identificar os machucados que carregamos e aceitar e perdoar as experiências do passado, pois só assim seremos pessoas melhores.

Características da ferida da rejeição
Quando e como surge a ferida: até 1 ano de vida. Você é rejeitada pela figura parental do mesmo sexo que o seu.
Como se esconde: fugindo.
Corpo: contraído, estreito, esguio.
Olhos: pequenos e com olheiras.
Costuma dizer: “nada”, “inexistente”, “sumir”.
Caráter: desprendimento com relação ao material. Perfeccionista. Intelectual. Passa de fases de grande amor a fases de ódio profundo.
Dificuldades sexuais. Procura a solidão. Devaneia com facilidade. Julga-se incompreendido.
Maior medo: sentir pânico.
Alimentação: perda de apetite em virtude das emoções ou do medo. Come em pequenas porções. Para fugir de algo, pode consumir
muito açúcar, álcool ou drogas.
Doenças possíveis: arritmia, problemas respiratórios, alergias, desmaios, diabetes, depressão.

Características da ferida do abandono
Quando e como surge a ferida: entre 1 e 3 anos. Você é abandonada pelo genitor do sexo oposto ao seu.
Como se esconde: se tornando dependente.
Corpo: comprido, pernas fracas, partes do corpo caídas ou flácidas.
Olhos: grandes, tristes. Olhar repuxado.
Costuma dizer: “não suporto”, “estou sendo devorado”, “não largam do meu pé”.
Caráter: vítima. Precisa de atenção. Dificuldade de fazer algo sozinha. Pede conselhos. Desperta compaixão. Prende-se fisicamente aos outros. Quer independência. Gosta de sexo.
Maior medo: solidão.
Alimentação: bom apetite. Bulimia. Gosta de comida macia.
Doenças possíveis: dor nas costas, asma, bronquite, enxaqueca, hipoglicemia, diabetes, problemas nas glândulas suprarrenais, miopia, histeria, depressão.

Características da ferida da humilhação
Quando e como surge a ferida: entre 1 e 3 anos. O responsável pelo seu desenvolvimento físico, em geral a mãe, a submete a humilhações.
Como se esconde: praticando o masoquismo.
Corpo: gordo, estatura baixa, pescoço largo e inchado.
Olhos: grandes, arregalados; abertos e inocentes como os de uma criança.
Costuma dizer: “ser digno”, “ser indigno”, “pequeno”, “grande”.
Caráter: vergonha de si e dos outros ou medo de causar vergonha. Não gosta de ir depressa. Conhece suas necessidades, mas não as escuta.
Carrega peso nas costas. Sente nojo.
Maior medo: liberdade.
Alimentação: gosta de alimentos gordurosos. Bulimia. Ingere várias pequenas porções. Vergonha de comprar ou comer gulodices.
Doenças possíveis: coluna, ombros, garganta, tireoide, comichões na pele, hipoglicemia, diabetes, coração.

Características da ferida da traição
Quando e como surge a ferida: entre os 2 e os 4 anos. Traição por parte do genitor do sexo oposto.
Como se esconde: sendo controlador.
Corpo: exibe força e poder.
Olhos: olhar intenso e sedutor. 
Costuma dizer: “dissociado”, “você entendeu?”, “sou capaz”, “deixa que eu faço sozinho”.
Caráter: julga-se responsável e forte. Procura ser especial e importante. Falha em cumprir seus compromissos. Mente com facilidade. Manipulador. Sedutor. Teme cometer traição e também ser traído.
Maior medo: a separação.
Alimentação: bom apetite. Costuma comer bem depressa. Acrescenta sal e temperos em quase todos os alimentos que ingere.
Doenças possíveis: doenças em que se perde o controle das funções do corpo, problema no sistema digestivo, herpes bucal.

Características da ferida da injustiça
Quando e como surge a ferida: entre os 4 e os 6 anos. O genitor do mesmo sexo que o seu comete alguma injustiça contra você.
Como se esconde: por meio da rigidez.
Corpo: rígido. Cintura marcada. Movimentos tensos.
Olhos: Olhar brilhante e inquieto.
Costuma dizer: “sem problema”, “sempre/nunca”, “muito bom”.
Caráter: perfeccionista. Otimista em excesso. Justifica-se o tempo todo. Não pede ajuda. Pode rir sem motivo para esconder a sensibilidade. Reluta em demonstrar afeto.
Maior medo: frieza.
Alimentação: prefere alimentos salgados aos doces.
Doenças possíveis: estafa, possui alguma dificuldade para alcançar o orgasmo (mulher), ejaculação precoce ou impotência (homem), doenças inflamatórias, torcicolo, prisão de ventre.

Para saber mais sobre como identificar os machucados que carregamos e aceitar e perdoar as experiências do passado, clique aqui

Os links externos fazem parte do Programa de Afiliados da Amazon, em parceria com a Revista AnaMaria.