AnaMaria
Bem-estar e Saúde / Importante!

‘BBB 22’: Bárbara apresenta traços de transtorno alimentar; saiba como identificar

O transtorno alimentar é um problema presente na vida de muitas mulheres

Nicole Cantagallo, com supervisão de Vivian Ortiz Publicado em 28/01/2022, às 16h26

Instagram/@ba.heck - Bárbara apresenta traços de transtorno alimentar no 'BBBB 22'
Instagram/@ba.heck - Bárbara apresenta traços de transtorno alimentar no 'BBBB 22'

Bárbara, participante do grupo Pipoca do ‘BBB 22’, apresentou atitudes que chamaram a atenção dos nutricionistas e apontaram para um possível transtorno alimentar. Isso porque a sister apresentou comportamentos que se baseiam na via do excesso: seja por comer demais ou por simplesmente parar de se alimentar, caracterizando uma possível relação doente com a comida.

Nas festas, por exemplo, era possível ver Bárbara comendo doces de forma compulsiva. No dia seguinte, porém, ela passou muitas horas na academia, o que caracteriza um comportamento purgatório, muito comum em pacientes que sofrem de transtornos alimentares, que nada mais é a busca de querer queimar as calorias do episódio de compulsão alimentar, explica a nutricionista Priscila de Andrade, especializada em comportamento alimentar.

Em outro momento, ela comeu um limão para substituir uma refeição, agindo pela falta de alimentação. “Além disso, Bárbara tem o hábito de comer e se recriminar com muita frequência, alegando se sentir gorda. Os ocorridos são comportamentos disfuncionais e que devem ser olhados com atenção”, ressalta a especialista..

De acordo com Priscila, o transtorno alimentar consiste em quadros psiquiátricos que se caracterizam por vários aspectos: alteração no comportamento alimentar, disfunção do peso, e modo como o paciente enxerga a forma corporal. Tudo isso pode gerar prejuízos psicológicos, clínicos e até mesmo no convívio social.

As causas podem variar, entretanto, existem comportamentos que são sinais do desenvolvimento do distúrbio, como os notados na participante Bárbara. “Vi pessoas dizendo que se espelhavam no comportamento dela, pessoas que competiam para ver quanto tempo de jejum, se ficariam tantas horas como a Bárbara ficou. Fiquei horrorizada, e já trabalho com pacientes com transtornos há quase 10 anos. Foi muito doloroso ver esse comportamento sendo validado, que ela faz só para emagrecer, e não é assim”, pontua a nutricionista.

Na visão dela, por Bárbara ter um padrão aceito pela sociedade e pela indústria da dieta - é loira, magra e tem olhos azuis - seus comportamentos são normalizados: “Mas eles precisam, sim, ser notados e discutidos pela mídia.”

COMO IDENTIFICAR ?

Para identificar os sinais de transtornos alimentares, Priscila ressalta que é importante notar algumas atitudes como:

A pessoa deixa de realizar algum programa por não querer expor o corpo?
Tem muito medo de ganhar peso e se tornar gordo?
Usa métodos purgativos, como o excesso de exercícios físicos, induzir vômito, usar laxante?

“A grande maioria dos pacientes também não respeitam sinais de fome: comem muito, e não notam que já estão saciados, ou sentem fome e tentam mascarar-lá comendo um limão, por exemplo”, lembra Priscila..

TRATAMENTO

O tratamento é um conjunto de cuidados: psicoterapia, remédios [se necessário] e acompanhamento nutricional: “Neste aspecto, o foco da intervenção é modificar crenças e atitudes relacionadas ao alimento e peso corporal, reestabelecendo o estado nutricional adequado.”.

Vale lembrar que o consumo de conteúdos na web podem causar gatilhos, mas também ajudam as pessoas a terem uma relação mais saudável com o corpo. “Acompanhar profissionais da saúde que respaldam evidências científicas sobre alimentação saudável sem terrorismo, podem ajudar para uma relação com o corpo sem maiores problemas”, finaliza..