AnaMaria

Cuide deles com carinho: 6 dicas para manter a saúde dos olhos

Especialista diz o que deve ser feito para não prejudicar essa região

Ana Bardella Publicado em 14/03/2018, às 19h34 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Seus olhos vão te agradecer! - Shutterstock
Seus olhos vão te agradecer! - Shutterstock

Os olhos são essenciais para o nosso dia a dia, mas nem sempre damos a devida atenção a eles. Rubens Belfort Neto, oftalmologista da Clínica Belfort, dá dicas para manter essa parte do corpo sempre saudável:

1. De vez em quando, compare a visão dos dois olhos.

É comum que um olho esteja doente e o outro continue enxergando bem, compensando o problema. Por isso, muitos pacientes não se dão conta do que está acontecendo. “Crie uma rotina para fazer os testes, como no início de uma partida de futebol, durante a missa ou em outras atividades semanais”, indica.

2. Cuidado com o celular!

Usar o celular ou tablet muito perto dos olhos pode ajudar a estimular a miopia. Controle as horas com esses dispositivos e deixe-os a uma distância saudável do rosto.

3. Saúde em primeiro lugar

Diabetes continua sendo uma causa muito comum de cegueira. Grande parte da população de diabéticos no Brasil nem sabe que tem a doença (e muitos diabéticos não fazem tratamento adequado, levando a problemas nos rins, coração, pés e olhos). Por isso a importância de fazer o tratamento corretamente. Fumo e obesidade também oferecem riscos para essa região do corpo.

4. Não durma com lentes de contato.

O hábito pode aumentar em até vinte vezes o risco de uma infecção na córnea! Não deixe também que a lente tenha contato com água de torneira ou soro fisiológico – ela deve ter contato apenas com a solução multiuso, a não ser que o oftalmologista dê outra orientação.

5. Evite se automedicar.

Alguns colírios, como o de corticoide, podem ter efeitos colaterais sérios e irreversíveis.

6. Vá ao médico regularmente.

Depois dos 40 anos, é recomendável fazer um check-up a cada dois anos. Depois dos 60, o ideal é fazer a cada ano (em pacientes saudáveis). Se existir algum fator de risco, o médico pode pedir que a consulta seja feita mais frequentemente.