AnaMaria

Dê fim às varizes com alimentos certos!

Laranja, mirtilo e alho são boas opções para combater a má circulação

Karla Precioso Publicado em 25/12/2017, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Dê fim às varizes com alimentos certos! - iStock
Dê fim às varizes com alimentos certos! - iStock

Causada por fatores genéticos, má circulação, sobrepeso ou sedentarismo, as varizes estão presentes na vida de boa parte das pessoas, tanto homens quanto mulheres, podendo causar dor e desencadear doenças circulatórias. O incômodo e os riscos são tão grandes, que as pessoas procuram inúmeras formas de dar fim a eles: lançam mão de cremes e pomadas, meias especiais, até mesmo cirurgia, quando, na verdade, a prevenção pode estar em bons hábitos alimentares. De acordo com o angiologista e cirurgião vascular dr. Ricardo Tebaldi, a alimentação exerce grande influência na prevenção da doença: “Nutrientes encontrados em certos alimentos melhoram a circulação – uma das principais causas do surgimento das veias dilatadas”, afirma. Veja o cardápio sugerido no livro O Segredo de uma Vida Saudável (R$ 19,95), de Sidney Oliveira, presidente da Ultrafarma.

Entenda o que são varizes
São veias dilatadas, tortuosas e de calibre aumentado, que podem aparecer em diversas regiões do corpo. O mais comum é ocorrerem nos membros inferiores. Consideradas por muitos apenas um problema estético, na verdade, elas indicam que algo não vai bem na circulação do sangue.

Fatores de risco imutáveis

Predisposição genética: pessoas com histórico familiar da doença devem se preocupar com a prevenção dos problemas circulatórios e adotar medidas que ajudem, pelo menos, a retardar o processo. 

Idade: à medida que as pessoas envelhecem, as veias vão perdendo a elasticidade e o sistema de válvulas enfraquece – o que dificulta o retorno do sangue venoso para o coração e os pulmões e favorece o aparecimento das deformações características das varizes.

Sexo: as mulheres estão mais sujeitas a desenvolver varizes. Alterações hormonais durante a gravidez, menstruação e menopausa, assim como o uso de pílulas anticoncepcionais e a reposição hormonal são fatores de risco, porque os hormônios femininos (estrogênio e
progesterona) agem sobre a parede dos vasos, diminuem sua resistência e comprometem o funcionamento das válvulas que regulam a passagem do sangue.

Fatores de risco mutáveis

Sedentarismo: praticar exercícios estimula o sistema circulatório e facilita o retorno do sangue para o coração.

Imobilidade: quando, por exigência profissional ou nas viagens longas, por exemplo, a pessoa é obrigada a permanecer sentada ou em pé por muito tempo, na mesma posição, qualquer exercício que facilite a contração e relaxamento da panturrilha ajuda a bombear o sangue de volta para o coração. Caminhar alguns passos para estimular a musculatura da batata da perna ajuda. Meias elásticas que possuam a compressão adequada também favorecem o bombeamento do sangue.

Obesidade: excesso de peso, pressão alta e diabetes representam sobrecarga para o sistema circulatório e aumentam o risco de desenvolver varizes.

Alimentação equilibrada e a prática de exercícios físicos são medidas fundamentais para diminuir o risco.

Tabagismo: as substâncias do cigarro deixam o sangue mais viscoso – o que dificulta a circulação e favorece seu acúmulo nas veias das pernas.

Salto alto: é um tema controverso. Alguns especialistas garantem que não oferecem risco maior. O fato é que o uso rotineiro de saltos muito altos e finos pode manter a musculatura da perna por muito tempo contraída, obstáculo que torna mais difícil o retorno do sangue venoso e permite que parte dele fique retida nas veias das pernas e dos pés.

Alimentos amigos da circulação
Abacaxi: pessoas que têm varizes apresentam dificuldade de degradar uma proteína chama fibrina, que acaba sendo depositada ao redor dos vasos. A bromelaína presente no abacaxi tem capacidade de quebrar essa proteína, diminuindo assim esse depósito.

Acerola, amora, caju, damasco, goiaba, morango e pêssego: ricos em vitamina C e flavonoides, fortalecem os vasos sanguíneos.

Água: essencial para o bom funcionamento do organismo, principalmente no que se refere à circulação.

Amendoim: repleto de vitamina B3, ele colabora para a vasodilatação sanguínea, melhorando a circulação. Apenas consuma com moderação, pois é um alimento calórico.

Cebola e maçã: possuem compostos antioxidantes e anti-inflamatórios, ajudando na manutenção da saúde dos vasos sanguíneos.

Gérmen de trigo: fonte de tiamina (vitamina B1), melhora a circulação. Óleos vegetais (óleo de canola, milho, girassol e azeite): fontes de gordura poliinsaturada, melhoram a integridade dos vasos sanguíneos e diminuem a viscosidade do sangue.

Peixes ricos em ômega-3, como o salmão, também são eficazes, pois evitam a formação de gordura e aumentam a fluidez sanguínea.

Suco de uva integral: os flavonoides, ácidos fenólicos e o resveratrol encontrados nas sementes e cascas das uvas têm ação antioxidante, diminuindo as chances de obstrução nos vasos sanguíneos. Mas não exagere na dose: beba de 1 a 2 copos de 200 ml por dia.

Busque ajuda nas ervas!

Centella asiática: folha já bastante utilizada na estética para o tratamento de celulites, é rica em flavonoides – substância anti-inflamatória que melhora a circulação dos membros inferiores. Pode ser usada na forma de chá, tintura ou extrato seco (entre e 200 ml e 400 ml por dia).

Cavalinha: planta com função diurética, que diminui o inchaço e melhora a circulação nas pernas. Pode ser usada na forma de chá, tintura ou extrato seco (entre 300 ml e 500 ml por dia).

Suplementos alimentares
Os alimentos são as melhores fontes de nutrientes que o organismo pode receber. Mas, caso haja necessidade de suplementação, consulte um nutricionista.

Você sabia?
Massagear o corpo, especialmente as pernas, pode ser benéfico para impedir as varizes, já que isso melhora a circulação. Praticar exercícios
físicos e evitar roupas apertadas também ajuda.