Dia Mundial da Diabetes tem como tema a importância da família

Você ou alguém próximo pode ter diabetes; saiba mais e aprenda a conviver com a doença

quarta 14 novembro, 2018
Você ou alguém próximo pode ter diabetes; saiba mais e aprenda a conviver com a doença
Você ou alguém próximo pode ter diabetes; saiba mais e aprenda a conviver com a doença Foto:Divulgação

O Dia Mundial da Diabetes é celebrado nesta quarta-feira (14). No Brasil, a doença afeta cerca de 16 milhões pessoas, muitas delas de forma silenciosa.

A data começou a ser comemorada em 1991 pela Federação Internacional de Diabetes e a Organização Mundial da Saúde (OMS). A ideia era chamar a atenção dos cidadãos e governantes para o problema.

Notícias Relacionadas

Na tentativa de ajudar a esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto, AnaMaria conversou com o endocrinologista Emerson Cestari, secretário adjunto da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Regional Paraná. Confira!

O QUE É?

A Diabetes é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue, processo chamado de hiperglicemia. Isso acontece devido a falhas na ação do hormônio insulina, produzido no pâncreas.

Existe mais de um tipo da doença: o Tipo 1, o Tipo 2 e o Gestacional. Há também um grupo raro com diabetes causada por alteração em um único gene, além da diabetes neonatal, que surge em bebês.

QUAIS OS PERIGOS DO TIPO 2, O MAIS COMUM?

Entre 80 e 85% dos casos de diabetes são do Tipo 2, que vai se manifestando com o passar da idade. Entre as causas, estão um estilo de vida não saudável, obesidade e sedentarismo.

Por esses motivos, ocorre com mais frequência em pessoas acima dos 40 anos. No entanto, tem aparecido cada vez mais em jovens e adolescentes.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS CLÁSSICOS?

Sede excessiva, assim como o excesso de urina, fome e perda inexplicada de peso. Entretanto, existem outros sintomas que podem estar presentes. 

"Embaçamento visual, infecções genitais de repetição, cansaço inexplicável, dores pelo corpo, fraqueza muscular, má cicatrização, dores abdominais e vômitos são alguns deles”, ressalta Cestari. 

CONSEQUÊNCIAS

A diabetes, quando não controlada adequadamente, pode levar a uma redução de entre 10 até 20 anos de expectativa de vida do paciente. Tudo culpa das diversas complicações, como alteração na retina, nos rins, nas artérias, nos nervos.

Isso leva a dor crônica, perda de sensibilidade e amputações, aumento de pressão arterial e de colesterol, além de risco de insuficiência cardíaca, câncer e cirrose hepática.

COMO TRATAR?

O tratamento para todos os casos inclui a adoção de um estilo de vida saudável, com atividade física, alimentação adequada e controle do peso, entre outras ações. 

O tratamento medicamentoso depende das alterações e do tipo de diabetes, podendo variar. Pode ser com o uso de medicamentos orais, injetáveis e a famosa injeção de insulina.

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

Os alimentos adoçados com açúcar e os muito ricos em carboidrato devem ser evitados ao máximo, pois o paciente não tem a capacidade de corrigir o aumento da glicemia que eles causam. Isso acontece mesmo com os medicamentos e insulinas disponíveis atualmente no mercado. 

Não existem alimentos milagrosos e que podem ser comidos sem limite, assim como não temos nada totalmente proibido. "O que precisamos seguir é uma dieta equilibrada, com alimentos frescos e evitando ao máximo o açúcar e os muito ricos em carboidratos, o que também inclui alguns tipos de suco de frutas”, ressalta o médico. 

O ideal é ter um planejamento nutricional, com a participação de um nutricionista, de preferência especializado em diabetes. Isso vai ajudar o paciente a manter o estilo de vida saudável.
 

 

Ana Caroline Oliveira
Leia Mais:

Assine a Revista Digital

Bate Bola na Cozinha

BEM-ESTAR

  1. 1 Ministério da Saúde abre hoje segunda fase da vacinação contra gripe
  2. 2 Mensagem da Karlinha: Faça novas escolhas sempre!
  3. 3 Veja 5 exercícios que auxiliam as mães na rotina com os filhos
  4. 4 Cuidados ao fazer as unhas fora de casa: veja como evitar contaminação
  5. 5 Qual é a obrigação do convênio de saúde com pessoas com câncer?