AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Lucas Lima passa por cirurgia para remover cisto e sisos; entenda o problema

Entenda a importância da remoção dos dentes do siso e como os cistos podem aparecer, igual no caso de Lucas Lima

Milena Casaca, com supervisão de Vivian Ortiz Publicado em 08/07/2022, às 13h10

Lucas Lima retirou os 4 dentes do siso e um cisto benigno - Instagram/@lucas.lima
Lucas Lima retirou os 4 dentes do siso e um cisto benigno - Instagram/@lucas.lima

Lucas Lima contou, na última quinta-feira (7), que passou por uma cirurgia para a remoção de um cisto na boca. Ele explicou que o problema surgiu em volta dos seus dentes do siso, que estavam gigantes e causavam muitas dores no músico.

Assim como Lucas, muitas pessoas removem os sisos. Segundo o cirurgião dentista Edson Rodrigues de Paula Neto, da Clínica All Smiles, a remoção auxilia nos casos em que os pacientes não têm o tamanho de mandíbula adequado e o siso acaba ficando incluso ou inclinado.

Acontece que, ao redor desses dentes, pode haver a formação de cistos. Por isso, o acompanhamento com um profissional é importante, além da realização de radiografias periódicas e o controle para que o diagnóstico seja precoce.

IMPORTÂNCIA DA REMOÇÃO

Retirar os dentes do siso pode evitar diversos problemas. “Previne o acúmulo de comidas, a reabsorção da raiz do segundo molar – o dente da frente –, evitando que o paciente tenha que retirar os dois dentes, e o aparecimento de cáries quando o dente estiver inclinado”, ressalta o especialista.

Além disso, os “dentes do juízo” podem causar inflamações e infecções gengivais quando ainda não cresceram totalmente. Isso porque a gengiva cobre uma parte deles, permitindo o acúmulo de sujeira e causando dor. Dependendo do grau da infecção, ainda existe o risco das bactérias migrarem para a corrente sanguínea e afetarem a saúde do paciente sistematicamente.

FORMAÇÃO DE CISTOS

De acordo com Rodrigues, os cistos aparecem quando o siso ainda está totalmente incluso na gengiva. Eles são resultados da proliferação de restos de tecidos epiteliais, responsáveis pela formação das estruturas dentárias, e agravam o quadro de inflamação. 

“Quando o siso não nasce, pode ter um pequeno acúmulo desses restos na região, que vão se proliferando e podem formar os cistos. Eles acabam envolvendo toda a coroa ou o dente que está ali incluso”, esclarece.

CIRURGIA

A remoção dos dentes e dos cistos é feita por meio de uma cirurgia. O especialista em próteses e implantodontia conta que é feita uma avaliação no paciente para determinar o momento mais propício para a realização do procedimento.

“Muitas vezes, indicamos a remoção precoce. Se a gente tirar antes, até os 18 anos do paciente e quando ainda não há a formação total das raízes, facilita um pouco todo o processo”, ressalta.

O quadro de saúde do indivíduo é analisado como um todo e, se o siso estiver inflamado, é usada uma medicação ou feito um procedimento prévio para cessar a inflamação antes da cirurgia. 

“Ela é realizada, geralmente, através de técnicas onde o dente é dividido para ser retirado de maneira mais fácil, sem causar tanta dor, inflamação ou inchaço após o procedimento” completa Edson, acrescentando que anestésicos potentes são utilizados para que a pessoa tenha bastante conforto, tanto durante como após a intervenção cirúrgica. 

{# Taboola Newsroom #}