AnaMaria

Nem tudo é câncer de mama

Qualquer anormalidade na região é preocupante, mas não significa que você esteja com um tumor

Ana Bardella Publicado em 29/05/2017, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Nem tudo é câncer de mama - iStock
Nem tudo é câncer de mama - iStock
Velho conhecido das mulheres, o autoexame detecta problemas relacionados aos seios. Ao menor sinal de um carocinho, ficamos alertas em relação à possibilidade de um câncer de mama! Porém, apesar de menos conhecidos do que os tumores malignos, outras doenças e incômodos também podem prejudicar a saúde dos seios. A seguir, alguns exemplos disso. Porém, para eliminar de vez qualquer dúvida, procure sempre um médico especializado.


Para treinar o seu sinal de alerta

“Ai, que dor!”
Segundo Antônio Frasson, presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, a dor nos seios é uma queixa feminina bastante comum. “Pelo menos 60% das mulheres apresentam esse sintoma em algum momento da vida, principalmente no período pré-menstrual”, diz. Mas quem está na menopausa não está livre do incômodo.

“Achei alguma coisa...”
Se, durante uma consulta de rotina, o médico diagnosticar a presença de um tumor, fique calma, pois sempre existe a possibilidade de ser benigno. Ou seja, o corpo estranho, nesse caso, não se classifica como um câncer. Além disso, após os 30 anos de idade, a
presença de cistos nas mamas passa a ser mais provável. Em situações assim, eles podem ser drenados com uma agulha ou apenas acompanhados por um médico em consultas periódicas.

“Que líquido é esse?”
Engana-se quem pensa que só as mulheres em período de amamentação presenciam a saída de secreções pelo mamilo. Alterações no ciclo menstrual, uso de anticoncepcional e ectasia (dilatação dos canais por onde passa o leite) podem resultar na descarga de um líquido leitoso, amarelado ou esverdeado. Se há infecção, ela pode ser purulenta. Já a presença de líquido cristalino ou com sangue costuma estar associada ao câncer.

MASTITE: o que é?
Trata-se de uma infecção na região. O organismo pode corrigir o problema por si só ou o médico pode receitar o uso de remédios. É mais comum durante a amamentação, pois os mamilos costumam ficar machucados, facilitando a penetração de bactérias.


Seja qual for a alteração no organismo, procure um médico e não hesite em buscar tratamento ideal para o seu caso.