AnaMaria

Tempo quente é época

A temperatura nas alturas e o uso de roupa apertada e biquíni molhado favorecem infecções na região íntima

Raquel Maldonado Publicado em 06/02/2017, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Tempo quente é época - Shutterstock
Tempo quente é época - Shutterstock
Não é só a gente que adora um calorzinho na praia. Para os fungos e as bactérias, essa época do ano é um prato cheio. “A vagina é um ambiente quente e úmido normalmente, mas com a chegada do verão, a coisa piora. O aumento da frequência dos banhos de mar e piscina, e o tempo prolongado que a mulher passa com o biquíni molhado fazem aumentar a incidência de infecções na região da vagina”, diz a ginecologista e obstetra Elisabeth Trezza. E, ao contrário do que muitos pensam, mesmo as mulheres que não são sexualmente ativas podem ser afetadas. Por isso, é essencial prevenir. Veja as principais doenças e cuide-se pra não correr o risco de passar os dias ensolarados em casa tomando remédio!


Cuidados
Uma alimentação rica em vitaminas e minerais ajuda a prevenir os incômodos. “A nutrição garante que a imunidade fique em alta e, com isso, o corpo reage melhor quando a infecção se aproxima”, diz a médica. Alimentos apimentados ou muito condimentados,
produtos enlatados ou industrializados, álcool e cigarro também fazem mal. Por outro lado, exercícios físicos regulares e a prática
de algum tipo de relaxamento para prevenir o estresse é recomendado e ajuda a evitar as temidas infecções.


Evite

O uso de absorventes diários, que abafam a região vaginal.

Calças e bermudas apertadas.

Calcinhas do tipo fio dental.

Ficar com o biquíni úmido.

Compartilhar toalha de banho ou roupa íntima.

A automedicação. O hábito faz com que as bactérias fiquem cada vez mais resistentes aos remédios.


Aposte

Em absorventes externos.

Troque-os com frequência.

Em saias e vestidos soltinhos.

Em calcinhas de algodão.

Em sempre trocar o biquíni molhado por um seco.

Em lavar as roupas íntimas com sabão neutro e deixá-las secar em local arejado (não no boxe!).

Em ir ao médico pra se tratar.


As principais infecções

Tricomoníase

O que é: infecção do trato genital inferior por um protozoário chamado Trichomonas vaginalis. A principal forma de transmissão é pelo sexo.

Como prevenir: além de adotar medidas que promovam maior ventilação da vagina, é imprescindível usar preservativo na relação.

Sintomas: corrimento amarelo-esverdeado e bolhoso, às vezes com odor fétido. Também pode haver prurido na vulva e dor ao urinar. Na menopausa, a doença é assintomática.

Como tratar: o tratamento pode ser feito por via oral ou creme vaginal. O parceiro sexual também precisa ser tratado.


Vaginose bacteriana

O que é: caracterizada pelo desequilíbrio da flora vaginal. Há uma redução dos lactobacilos protetores e proliferação de bactérias.

Como prevenir: mantenha uma alimentação saudável e a vagina sempre bem arejada. Preservativo durante o sexo é fundamental.

Sintomas: corrimento branco-acinzentado e com odor fétido (cheiro de peixe), que piora no período menstrual e na relação sexual.
Também pode haver prurido e desconforto pélvico.

Como tratar: preferencialmente, o tratamento é feito por via oral, mas o médico pode receitar também cremes vaginais.


Candidíase

O que é: causada por um fungo, denominado Candida. A mais comum é infecção por Candida albicans. Além dos genitais, pode afetar pele e garganta.

Como prevenir: manter a vagina arejada, evitar estresse excessivo e o consumo exagerado de doces. Camisinha obrigatória!

Sintomas: corrimento branco grumoso, com prurido e ardor intenso. A vulva costuma ficar bem avermelhada e com áreas de
descamação. Dor na relação sexual também é comum.

Como tratar: por via oral, com antifúngicos, e também com cremes. Banhos de acento ajudam no alívio imediato dos sintomas.