AnaMaria

3 motivos para se encantar pela personagem Rebeca, da novela ‘Um Lugar ao Sol’

Vivida por Andréa Beltrão, Rebeca traz à tona as dores e delícias de ser uma mulher madura

*Leka Oliveira, colunista de AnaMaria Digital Publicado em 11/03/2022, às 08h00

Andréa Beltrão, atualmente com  58 anos, vive Rebeca em ‘Um Lugar ao Sol’. - Fabio Rocha / TV Globo
Andréa Beltrão, atualmente com 58 anos, vive Rebeca em ‘Um Lugar ao Sol’. - Fabio Rocha / TV Globo

A atriz Andréa Beltrão está impecável e dando um show de interpretação como Rebeca, em "Um Lugar ao Sol". Trata-se de uma ex-modelo na fase madura da vida que, sem dúvida nenhuma, é uma das personagens mais marcantes atual novela das 21h da TV Globo. A autora Lícia Manzo, ela própria uma mulher de 56 anos, tem conseguido trazer nos diálogos as questões importantes que envolvem as dores e as delícias da maturidade feminina!

Além do texto e da atuação incríveis, é importante destacar que o papel de Rebeca tem ajudado a dar mais visibilidade a esse público, que sofre preconceito por conta da idade, o chamado etarismo. Ela tem sido valorizada e suas muitas questões, que podem ser as nossas também, são colocadas sempre em foco para reflexão.

Particularmente, tenho acompanhado as cenas de Rebeca e sou fã. Afinal, são tantos temas importantes sendo mostrados: menopausa, crise da idade, etarismo, sexualidade, relações familiares conflituosas, relacionamento com um homem mais jovem! Por isso, trouxe 3 motivos para se encantar por Rebeca, assim como eu!

1. A CRISE DE IDADE E O SOFRIMENTO EM RELAÇÃO AS PERDAS

Aos 50 anos, a ex-modelo reclama da sua profissão, por ter “vida curta”, sente dificuldades e sofre cada vez mais para conseguir trabalhos. Além disso, também traz à tona o quanto é difícil para as mulheres aceitarem as mudanças físicas na maturidade, em uma sociedade machista e preconceituosa, que ainda valoriza a juventude.

2. AS DIFÍCEIS RELAÇÕES FAMILIARES

Sua filha e outros personagens, vivem lembrando que Rebeca, por ter 50 anos, tem que assumir uma postura “adequada a sua idade”, mais conservadora e discreta. Em um dos diálogos com a filha, ela se rebela e diz: “Eu enchi desse papo de 50 anos, eu não tenho prazo de validade, eu não expirei...”. Já com o ex-marido, vivia um relacionamento frio, um casamento falido, não se sentia desejada e foi traída, com uma mulher bem mais jovem.

3. SE PERMITE VIVER E ACIMA DE TUDO SER FELIZ

Apesar de suas dificuldades, seus conflitos e questões (menopausa, crises da idade, envelhecer, relações conflituosas...), a personagem é solar e transmite com equilíbrio muita força e leveza. No decorrer da trama, encontra em um homem mais jovem a possibilidade de ser feliz no amor, mas sofre preconceito e cobranças (dela mesma, inclusive), por causa da diferença de idade entre eles. Grande parte do público, incluindo eu, torce pelo casal e para que eles tenham final feliz.

*LEKA OLIVEIRA, psicóloga, produtora de conteúdo, empreendedora e colunista de moda. Na Revista Ana Maria apresenta temas direcionados para mulheres maduras sobre moda, beleza, autoestima, saúde e muito mais. Instagram: @lekaolliveira