AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Após atropelar e matar adolescente, modelo Bruno Krupp quebra o silêncio: “Assassino”

Bruno Krupp estava dirigindo uma moto em alta velocidade no momento do acidente

Da Redação Publicado em 03/08/2022, às 20h07

Bruno Krupp se envolveu em acidente e não tinha habilitação para dirigir - Reprodução/Instagram e Twitter/@VideoEMOFF
Bruno Krupp se envolveu em acidente e não tinha habilitação para dirigir - Reprodução/Instagram e Twitter/@VideoEMOFF

O modelo Bruno Krupp, ex-namorado da influenciadora digital Sarah Poncio, se pronunciou nesta quarta-feira (3) pela primeira vez desde o acidente que culminou na morte de um adolescente de 16 anos, no Rio de Janeiro.

O moço de 25 anos apareceu em um vídeo ainda hospitalizado, com ferimentos pelo corpo, para se manifestar a respeito do ocorrido. “Gente, pelo amor de Deus, eu sou a última pessoa que queria que isso tivesse acontecido. Pode ter certeza que eu queria que o pior tivesse acontecido comigo”, iniciou ele em vídeo compartilhado no Twitter pelo portal ‘Em Off’ .

“Eu fui levado de ambulância para o hospital, eu fui transferido de ambulância para outro hospital, eu não fugi do hospital, eu não fugi dos médicos. Eu fiquei três horas esperando no hospital para ser atendido. Ninguém me atendia [no hospital]. Eu estava morrendo no hospital, os empregados me tratando mal, batendo com a maca no corredor, me chamando de assassino, como se eu tivesse feito alguma coisa errada. Eu não bebi, eu não usei drogas, eu não fiz nada, foi um incidente”, concluiu Bruno.

Veja o relato na íntegra:

O ACIDENTE

De acordo com informações da página Caso Família, um familiar do Bruno Krupp contou que ele teria atropelado o jovem de 16 anos na altura do posto 3, na Barra da Tijuca. Ao que tudo indica, no momento do acidente, o adolescente estava atravessando a avenida fora da faixa de pedestres.

Parece que o modelo, por sua vez, estava voltando de uma festa e, segundo o mandado de prisão preventiva, dirigia uma moto sem placa a 150 km/h em uma via em que o limite é de 60 km/h, sem carteira de habilitação. Ademais, três dias antes do acidente, o jovem foi parado numa blitz com essa mesma moto e se recusou a fazer o teste do bafômetro.

Bruno ainda é investigado pela polícia pelos crimes de estelionato e estupro, de acordo com informações do portal G1.