AnaMaria
Famosos / Desânimo

Gabriela Duarte reage ao encontro de Regina Duarte com Jair Bolsonaro e viraliza na web

Atriz revelou ter ficado "aliviada" quando a mãe deixou a Secretaria da Cultura

Da Redação Publicado em 15/04/2021, às 09h03 - Atualizado às 09h04

Gabriela Duarte reage ao ver vídeo da mãe com o presidente - TV Globo
Gabriela Duarte reage ao ver vídeo da mãe com o presidente - TV Globo

Gabriela Duarteteve seu nome entre os assuntos mais comentados do Twitter, na madrugada desta quinta-feira (15), ao participar do 'Conversa com Bial' e reagir ao encontro entre a mãe, Regina Duarte, e Jair Bolsonaro, em maio de 2020, quando a veterana deixou o cargo na Secretaria Especial da Cultura. 

Após exibir o vídeo em que o ex-militar anunciou que Regina não estaria mais a frente da pasta,Pedro Bial questionou se Gabriela ficou aliviada em ver a mãe ser exonerada. 

"Foi um período muito turbulento, de muitas coisas. Um período que, de certa forma, nos afastou bastante. Não por uma questão ideológica, não é isso. Tem a ver com uma dinâmica muito complicada, de entrar ali, sair... Então, eu posso responder por mim, eu fiquei muito aliviada", confessou. 

A reação de desânimo de Gabriela acabou gerando diversos comentários no Twitter. "É muito doloroso ter uma pessoa tão próxima que pensa tão diferente de você. Força, Gabi", falou um. "Quando eu vejo um parente apoiando Bolsonaro nas redes sociais", comentou outro. "A Gabriela Duarte representou o Brasil vendo esse vídeo da mãe", escreveu um terceiro.

Sobre o período em que Regina esteve à frente da Secretaria Especial da Cultura, Gabriela contou que chegou a receber muitas ameaças e definiu a época como "bizarra". "Nunca me passou pela cabeça."

Além disso, ela também revelou que não fala sobre assuntos políticos com a mãe e explicou o motivo: "Foi um pacto que fiz comigo mesma. Realmente a gente escolhe coisas que a gente combina invariavelmente, séries, filmes, a profissão. A gente se encontra no melhor. Pra que se encontrar num lugar que é espinhoso?"

Regina comandou a pasta por menos de dois meses, no início de 2020. Bolsonaro disse na época que a atriz sentia falta da família e por isso deixava o cargo. Ele afirmou também que a veterana ficaria à frente da Cinemateca, em São Paulo. No entanto, até o momento ela não assumiu o órgão.