AnaMaria
Famosos / Inclusão

Jakelyne Oliveira se revolta com falas do Ministro da Educação: ‘‘É um absurdo!’’

Ex-Fazenda saiu em defesa da irmã Geovanna, que tem Síndrome de Down

Da Redação Publicado em 18/08/2021, às 15h06 - Atualizado em 19/08/2021, às 07h30

Milton Ribeiro criticou a presença de crianças com deficiência nas escolas - Instagram/@jaakelyne
Milton Ribeiro criticou a presença de crianças com deficiência nas escolas - Instagram/@jaakelyne

Jakelyne Oliveira ficou revoltada com a afirmação do Ministro da Educação, Milton Ribeiro, sobre as crianças com deficiência “atrapalharem” o aprendizado dos demais estudantes. O principal motivo é que a ex-Fazenda é irmã de Geovanna, de 13 anos, que tem síndrome de Down.

Ele afirmou, durante uma entrevista à TV Brasil em 9 de agosto, que crianças com deficiência "atrapalham, entre aspas" o aprendizado de outros alunos sem a mesma condição. Tudo porque "a professora não tinha equipe, não tinha conhecimento para dar a ela atenção especial."

Nos Stories, Jakelyne compartilhou uma notícia sobre o assunto e completou: "É um absurdo ver que o Ministro da Educação, que deveria apoiar, lutar e incentivar a inclusão, faz e pensa o oposto, com falas carregadas de preconceito”. 

Para a Miss Brasil 2013, é fundamental que as escolas sejam capazes de atender a todas as crianças. "A inclusão está no nosso dia a dia, dentro e fora das salas de aula. Seu pensamento não deveria ser fazer 'escolas especiais para pessoas especiais' e sim capacitar as escolas e os profissionais para proporcionar inclusão!".

Jake finalizou o recado reforçando sua indignação com a situação. "É um absurdo esse pensamento que pessoas com necessidades especiais devem conviver apenas com pessoas da mesma condição", concluiu.

CARTA ABERTA
Ivy Faria, filha caçula de 16 anos do ex-jogador de futebol e atual senador Romário (PL-RJ), também escreveu uma carta aberta nas redes sociais direcionada a Milton Ribeiro. "Seu ministro da Educação, aqui é a Ivy. Eu estou muito triste com Sr. Sabe, eu tenho síndrome de down, sou uma pessoa com deficiência, e sou estudante. Estudo para ter um futuro e ajudar o meu país. Eu não atrapalho ninguém. Frequento uma escola regular, onde há jovens com e sem deficiência. Cada um aprende no seu tempo, ninguém é igual", iniciou a adolescente.

Depois, ela aproveitou para ressaltar que tanto a sua presença, quanto a de pessoas com deficiência não é ruim, muito pelo contrário. "Desde a escola, meus coleguinhas aprendem uma lição que parece que o Sr. não teve a oportunidade de aprender: a diversidade faz parte da natureza humana e isso é uma riqueza. A fala do senhor revela muita falta de educação. Como pode achar que a deficiência torna alguém incapaz de estudar? A deficiência não nos torna incapaz de nada, basta que tenhamos oportunidade".

Ivy ainda citou a presença de advogados cegos e relações públicas com síndrome de down, além de "um monte de gente com deficiência formado na universidade e trabalhando para Brasil". "Seu ministro, uma criança com deficiência em sala de aula contribui mais com a educação deste país do que o senhor neste ministério", finaliza ela.

Confira: