AnaMaria
Famosos / Carreira

Na Globo, Xuxa fala sobre a empresária Marlene Mattos: ''Abuso de poder''

Em entrevista para o 'Fantástico', a apresentadora também comentou o filme 'Amor Estranho Amor'

Da Redação Publicado em 02/11/2020, às 09h26 - Atualizado às 09h27

Xuxa Meneghel em entrevista ao 'Fantástico', na TV Globo - TV Globo
Xuxa Meneghel em entrevista ao 'Fantástico', na TV Globo - TV Globo

Depois de deixar a TV Globo em 2015, o público pôde ver Xuxa Meneghel na tela da emissora no último domingo (1º), quando ela deu uma entrevista ao 'Fantástico'. Na ocasião, a loira falou sobre a carreira, a empresária Marlene Mattos e o filme polêmico da década de 80, 'Amor Estranho Amor'.

Sobre a empresária, a apresentadora revelou que Marlene mexeu muito com sua cabeça e com a das paquitas. "As histórias se misturam quando a gente conversa sobre isso e vê que ela usou muito abuso de poder em cima da gente", disse. 

No entanto, Xuxa deixou claro que não foi forçada a fazer nada. "Eu deixei ela tomar conta da minha vida. Ela fazia coisas e eu aceitava", afirmou, dizendo que hoje age de maneira diferente. "Aceitar ser conivente é uma coisa que eu não aceito de jeito nenhum. Nem dela, nem de ninguém."

De acordo com a coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo, Marlene afirmou que não mudaria a forma como agiu e que aquela era a única forma de alcançar resultados. 

POLÊMICA DOS ANOS 80

Além disso, Xuxa também respondeu sobre 'Amor Estranho Amor', filme da década de 80 que foi taxado como pornográfico. Na época, Xuxa tinha 18 anos e interpretava uma jovem de 15, que tinha relações sexuais com um personagem mirim.

"As pessoas levantam essa bandeira falando que transei com um garoto de 13 anos. Eu não transei, aquilo é ficção. Se não, o Arnold Schwarzenegger estaria preso por ter matado um monte de gente nos filmes dele", disse.

Ela ainda fez um pedido ao público e afirmou que o filme trata de um assunto pouco falado: a exploração infantil. 

"Quem não viu, por favor, veja. Fala de uma coisa atual, exploração infantil, realidade de muita gente. Essa é uma ficção, mas a realidade existe com o nome de exploração infantil", afirmou. "Eu fazia o papel de uma menina de 15 anos vendida para um prostíbulo. Não é minha biografia, não faz parte da minha história."