AnaMaria
Famosos / Eita!

''Prefiro feijão'', rebate Lázaro Ramos após fala polêmica de Jair Bolsonaro

Presidente chamou de “idiota” quem disse que precisa comprar feijão

Da Redação Publicado em 28/08/2021, às 11h55 - Atualizado às 11h56

Lázaro Ramos - Instagram/@olazaroramos
Lázaro Ramos - Instagram/@olazaroramos

Lázaro Ramos utilizou seu perfil no Instagram neste sábado (28), para se posicionar, após a fala polêmica do presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, o presidente chamou de ‘idiota’ quem conta que precisa comprar feijão, dizendo que: “Todo mundo tem que comprar fuzil”. 

O ator publicou uma foto com um fundo amarelo, e a frase “Prefiro feijão”. Na legenda, Lázaro completou sua declaração. “Bom dia para quem quer feijão, respeito, trabalho, projeto, ética, educação, alegria, completa aí”, pediu ao seus seguidores.

Nos comentários, diversos artistas concordaram com o ator. O cantor Di Melo escreveu: “Quero feijão, arma não. O feijão quem compra gosta”.  Sérgio Loroza também comentou: “Como diria a cantora Kátia ‘Não está sendo fácil….’.

O ator Alexandre Nero aproveitou para afirmar: “É, porque tem uns e outros que se alimentam do ódio”, se referindo ao atual governo. Além das celebridades, o marido de Taís Araújo recebeu apoio de muitos seguidores.

Nos stories, Lázaro desejou um beijo a todos. “Receba um beijo bem gostoso nessa manhã de sábado. E não se esqueça do que importa de verdade para te fazer feliz. Sim Feijão”, ressaltou.


A POLÊMICA

Jair Bolsonaro chamou de “idiota” quem conta que precisa comprar feijão, na última sexta-feira (27). Para o presidente, “tem que todo mundo comprar fuzil".

As declarações foram feitas em uma conversa entre o político e seus apoiadores no Palácio da Alvorada. No bate-papo, que foi transmitido nas redes sociais, um simpatizante perguntou se tinha novidades para os caçadores, atiradores e colecionadores, também chamados de CACs.

“O CAC está podendo comprar fuzil. O CAC que é fazendeiro compra fuzil 762. Tem que todo mundo comprar fuzil, pô. Povo armado jamais será escravizado. Eu sei que custa caro. Tem um idiota: 'Ah, tem que comprar é feijão'. Cara, se não quer comprar fuzil, não enche o saco de quem quer comprar.”, respondeu o presidente.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação teve alta de 0.96% em julho, totalizando em 8,99% no período de um ano, é o maior percentual desde maio de 2016, quando registrou 9,32%. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumula alta de 4,76%. 

Ainda de acordo com o IBGE, a inflação para a alimentação em domicílio passou do dobro entre junho e julho, indo de 0,33% para 0,78%.