AnaMaria
Famosos / Saudade Eterna

Raul Gazolla desabafa sobre assassinato de Daniella Perez: “Deveriam estar presos”

"Não sou espiritualmente evoluído a ponto de perdoar” revelou o ator Raul Gazolla

Da Redação Publicado em 14/02/2022, às 17h14

Raul Gazolla desabafa sobre morte da ex-mulher Daniella Perez - Instagram/@rgazolla
Raul Gazolla desabafa sobre morte da ex-mulher Daniella Perez - Instagram/@rgazolla

O ator Raul Gazolla relembrou a morte da ex-mulher, Daniella Perez, em entrevista concedida ao podcast “Connect Cast”, do YouTube. A atriz foi assassinada em 1992 por Guilherme de Pádua e sua então esposa na época, Paula Thomaz.

Raul afirmou que mesmo após quase trinta anos do crime que chocou o país, não superou a perda da amada: “A gente supera uma morte por acidente, uma morte por doença, a gente suporta uma morte de um ente querido. Mas quando é assassinato, eu posso conviver com isso, mas superar é outra coisa”, disse Gazolla.

O ator também confessou que não perdoa o assassino da ex-mulher: "Não sou espiritualmente evoluído a ponto de perdoar. Como diz Glória (Perez, autora, mãe de Daniela), 'nem Jesus perdoava'. Eu vou perdoar? Quem sou eu para perdoar, bicho? O cara dá 18 facadas na minha mulher e eu vou perdoar?", desabafou.

Ele também desmentiu a versão contada por Guilherme na época, de que teria um caso com Daniela Perez: " O assassino diz que teve um caso com a Dani e que foi um crime passional, mas foi provado que ele nunca teve caso com ela. Isso nunca foi verdade".

Raul disse ainda que, no final do ano passado, gravou um documentário para um canal fechado de TV sobre a morte da ex-mulher e criticou o fato dos assassinos estarem soltos hoje. " Foram entrevistados todas as testemunhas, policiais e advogados, que participaram desse processo, menos os assassinos, porque eles não têm nada a dizer a não ser ficarem presos, mas eles não estão, porque estão aqui no Brasil", lamentou.

Sobre a determinação judicial, Gazolla contou que valor nenhum apagará o sofrimento. “Eles agora foram condenados a pagar uma multa pelo assassinato da Dani. Mas não existe dinheiro que pague uma lágrima que a Glória e eu passamos".

Confira a entrevista completa:

RELEMBRE O CASO

Em 28 de dezembro de 1992, Daniela Perez foi assassinada a tesouradas pelo então companheiro de cena, Guilherme de Pádua, que fazia par com ela em “De Corpo e Alma”, escrita por Glória Perez, e pela então mulher dele, Paula Thomaz. Ele planejou o crime depois de tentar fazer com que Daniela pedisse para a mãe aumentar seu papel no folhetim.

Após cinco anos do assassinato, Guilherme e Paula foram condenados a 19 anos e seis meses de prisão. Posteriormente, a pena foi reduzida a seis anos.

Atualmente, Guilherme de Pádua é pastor numa igreja evangélica de Belo Horizonte, em Minas Gerais, onde vive com a atual mulher.