AnaMaria
Novelas / Vem aí!

‘Pantanal’: Madeleine leva fora de Zé Leôncio após se arrepender de fuga

Ela vai implorar para reatar o casamento com o pantaneiro, mas não será fácil

Da Redação Publicado em 07/04/2022, às 12h13

Madeleine (Bruna Linzmeyer) se arrepende e leva fora de Zé Leôncio (Renato Góes), em Pantanal - TV Globo
Madeleine (Bruna Linzmeyer) se arrepende e leva fora de Zé Leôncio (Renato Góes), em Pantanal - TV Globo

A visita de Gustavo (Gabriel Stauffer) a Madeleine (Bruna Linzmeyer) mexe com a cabeça da dondoca, fazendo com que ela desista da vida no Pantanal e volte para o Rio de Janeiro com o filho no colo. De malas prontas, Madeleine vai se despedir de Filó, e a morena tenta mais uma vez impedir a partida da patroa, alegando que Zé Leôncio nunca mais vai amar ninguém como amou Madeleine.

Só que isso não causa nenhum tipo de arrependimento na carioca. "Pois diga a ele que, se ele quiser salvar esse casamento, basta vender essa fazenda e ir morar comigo e com o nosso filho no Rio de Janeiro!" E, além de Maria Marruá (Juliana Paes), quem vai virar uma verdadeira onça será Zé Leôncio (Renato Góes), ao descobrir a fuga da mulher.

E ele realmente vai até o Rio atrás da família. Impedido pela Justiça de levar Jove para o Pantanal, o peão se despede do filho muito emocionado, fazendo com que Madeleine perceba a besteira que fez. Mas aí já será tarde, né?

Ao chamar o peão para uma conversa, ele é ríspido com ela, pois não quer papo. Sofrida, ela diz se arrepender de tudo o que fez, reconhece o erro e está disposta a repará-lo. Quando o Zé Leôncio lhe fala que ela não cometeu erro nenhum, Madeleine fica esperançosa em ter o marido de volta. Só que não:

"Ocê mostrô que o errado nessa história toda fui eu... Que pensei que ocê fosse capaz de amá arguém nessa vida que num fosse ocê. Eu nunca mais quero olhá na tua cara!"

NADA DE PERDÃO, VIU!

Ela se ajoelha aos pés dele, implorando uma nova chance e ressaltando que são uma família, mas nada disso impressiona o boiadeiro, que só tem é raiva da carioca: "Ocê morreu pra mim... No instante em que foi s’embora daquela fazenda, Madeleine, ocê morreu pra mim."

"E tô confiâno na palavra que seu pai me deu, que, aqui, ocês vão dá todo estudo pra ele... Que é pra ninguém fazê meu filho de besta nessa vida... Que nem ocê me feiz", diz ele, indo embora, deixando-a devastada.