AnaMaria
Novelas / TV

Sabia que a Bárbara, de 'A Cor do Pecado', inspirou trama de 'A Favorita'?

Trama de 'A Favorita' será exibida a partir de 16 de maio no 'Vale a Pena Ver de Novo'

Da Redação Publicado em 03/05/2022, às 10h22

Trama de 'A Favorita' contou a história de rivalidade de Flora (Patrícia Pillar) e Donatela (Claudia Raia). - TV Globo
Trama de 'A Favorita' contou a história de rivalidade de Flora (Patrícia Pillar) e Donatela (Claudia Raia). - TV Globo

Os fãs da novela “A Favorita” terão o prazer de rever a trama no "Vale a Pena Ver de Novo", a partir de 16 de maio. A história, que marcou a estreia de João Emanuel Carneiro no horário nobre, inovou ao não deixar claro para o público quem era a mocinha e a vilã da história. 

O suspense agradou tanto que, somente no fim do que o autor chamou de primeiro ato de “A Favorita”, o mistério foi revelado. E ele queria fazer uma novela que, justamente, jogasse com essa figura da heroína que pode ser heroína, mas que pode ser a vilã. "Queria fazer uma coisa ousada, arriscada, que é mexer com a identificação do público com os personagens”, contou em entrevista ao GShow.

No passado, as duas personagens foram criadas juntas e formaram a dupla sertaneja “Faísca e Espoleta”. Mas Flora foi presa, acusada de matar o marido de Donatela e deixa a prisão disposta a provar a sua inocência, acusando a ex-parceira de ter cometido o crime. O acerto de contas entre elas começa então.

E OLHA ESSA CURIOSIDADE!

Antes disso, o autor já tinha escrito 'Da Cor do Pecado', que foi a primeira novela a ter uma protagonista negra, vivida por Taís Araújo; e 'Cobras & Lagartos' para o horário das 7. E a ideia de 'A Favorita' surgiu na época de "A Cor do Pecado, com a personagem Bárbara, de Giovanna Antonelli.

"[A atriz] fez maravilhosamente bem esse personagem. Ela era uma louca, uma degenerada e conquistou a simpatia do público e a minha simpatia de alguma maneira.

Essa será a primeira vez que “A Favorita” é reprisada na TV aberta. Ela foi a primeira das novelas do catálogo da TV Globo disponíveis para o público no Globoplay. A novela ganhou dois prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) relativos ao ano de 2008: o de melhor autor, para João Emanuel Carneiro, e o de melhor atriz, para Patrícia Pillar.