AnaMaria

‘Nos Tempos do Imperador’: Lupita lamenta que não é mais a rainha da cocada

Em ‘Nos Tempos do Imperador’ Lupita perderá o título e as escravizadas

Da Redação Publicado em 28/12/2021, às 16h30

Lupita em 'Nos Tempos do Imperador' - Reprodução/Globo
Lupita em 'Nos Tempos do Imperador' - Reprodução/Globo

Lupita (Roberta Rodrigues) perderá o título de rainha da cocada após plano de Lota (Paula Cohen). A baronesa vai incentivar as escravizadas a fugirem e assim, Lupita não terá como vender toda a produção de guloseimas. Entretanto, a quituteira avisará: “O único dinheiro que entrava aqui era o dos doces. Vamos ficar na miséria".

Batista (Ernani Moraes) complicou a vida de “batata baroa” ao deixar o sobrado na rua do Ouvidor, no centro do Rio, para a amante, antes de morrer. Sendo assim, a nobre vendeu suas joias e comprou o passe de cozinheira de Borges, para não ser expulsa.

Lota ainda voltará a atrapalhar a vida de Lupita nas cenas que irão para o ar no próximo sábado (1). Ela dará incentivo para as escravas de ganho, que vendem as cocadas, fujam para que não sejam vendidas a um latifundiário perverso- esse por sua vez não existe.

"Agora vai ter que trabalhar por todas ela", debochará Lota. "Entendi que eu merecia isso. Nasci cativa, achava que tudo era normal, mas não é. Tenho que agradecer a sinhá. Elas me fizeram um favor. Esse pecado eu não carrego mais”, dirá Lupita.

“O que? Pensa no dinheirão que você perdeu, no quanto você teve que trabalhar para juntar", dirá a personagem de Paula Cohen, indignada que o plano não funcionou tão bem. “Ih, mãe, o tiro saiu pela culatra", disparará o filho Bernardinho (Gabriel Fuentes).

Por fim, Lupita dirá que Lota se prejudicou ao incentivar a fuga das escravas. “A sinhá deu fim nas cativas para se vingar de mim, agora ficamos as duas sem nada. O único dinheiro que entrava aqui era o das cocadas. O que o Bernardinho ganha não dá para nada. Vamos ficar na miséria”, disparará.

VEM MAIS POR AÍ

Cândida (Dani Ornellas) injetará um ânimo amargo no coração de Isabel (Giulia Gayoso) em ‘Nos Tempos do Imperador’, novela das seis da TV Globo. A princesa estará usando do conhecimento de ervas da mãe de santo para fazer um tratamento para gravidez, e acabará recebendo uma bênção da Rainha da Pequena África. Assim que toca a cabeça da monarca, porém, a esposa de Olu (Rogério Brito) verá uma criança no futuro da filha de D. Pedro II (Selton Mello), mas alertará: “Vossa Alteza vai precisar ter paciência”.

Nas cenas, previstas para irem ao ar no dia 3 de janeiro, Isabel recorrerá à religião de mãe Cândida como mais um caminho para tentar engravidar. No início, ela se mostrará bastante nervosa: "Sou muito católica. Nunca imaginei estar recorrendo a outra religião, mas eu não…", dirá a princesa, com a voz falha, exausta após as tentativas. Cândida tentará consolar a jovem: “eu acredito que só existe um Deus. E a única coisa que muda é o jeito de falar com Ele", falará. As informações são do Notícias da TV.

Enquanto a mãe de Zayla (Heslaine Vieira) prepara as ervas para benzer a herdeira do trono, Isabel começará a recordar de uma de suas visitas na Pequena África. Na ocasião, a filha da Imperatriz Teresa Cristina (Leticia Sabatella) foi acompanhada de seu marido, Gastão (Daniel Torres), quando a religiosa teve uma visão e garantiu que o filho do casal viria - bastava ter paciência.

Desta vez, a história se repetirá. Quando tocar na cabeça de Isabel, a personagem de Dani Ornellas avistará a imagem de uma mulher se lavando em uma tina de água e, depois, caminhando com uma criança em um campo. Ao abrir os olhos, Cândida revelará: “os seus filhos vão chegar, princesa Isabel. Mas Vossa Alteza vai precisar ter paciência. E muita fé.”

As palavras não confortarão tanto a monarca, que, a essa altura, estará cansada de esperar. “Por que eu tenho que passar por isso? O que eu fiz de tão errado, mãe Cândida?", perguntará, devastada. A esposa de Olu tentará reestabelecer as forças da futura regente do País. "Faça um chá com casca de inhame e tome banho com um ramo de folha-da-fortuna. Vai ajudar!", garantirá. 


Na vida real

A cena tem correspondência com a realidade. De acordo com historiadores, Isabel fazia superstições e uma série de novenas implorando pela gravidez - por isso, não seria difícil que ela tenha recorrido a outras religiões, como o Candomblé. A nobre confessava para os parentes próximos que obrigava o Conde d’Eu a participar de suas simpatias, incluindo entrar em um cemitério para urinar na argola de um sino e lambuzar o pênis com sebo de bode.

A busca desenfreada da filha de D. Pedro II por um filho é contada no livro ‘O Príncipe Maldito’, de Mary del Priore, cujo protagonista é Pedro Augusto, primogênito de Leopoldina - do qual ela já está grávida na novela -, que sonhava em um dia ocupar o trono do Brasil diante da esterilidade da tia.

No fim, após ter dois abortos e dar à luz uma natimorta, Isabel finalmente terá os tão desejados filhos: Pedro, Luís e Antônio. Os créditos ficaram para o médico italiano Carlos Eboli, que conduziu um tratamento de hidroterapia na princesa.