AnaMaria

A importância de colocar a saúde em primeiro lugar

Após ser diagnosticada com tuberculose ganglionar, Simaria é liberada pelos médicos para retomar a agenda de shows em agosto. Mesmo assim, a carga de trabalho deverá ser reduzida

Redação Publicado em 22/06/2018, às 15h52 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

É preciso deixar os problemas de lado e prestar atenção na saúde! - Globo
É preciso deixar os problemas de lado e prestar atenção na saúde! - Globo

Diagnosticada com tuberculose ganglionar, a cantora Simaria, da dupla sertaneja com Simone, precisou dar uma pausa na carreira depois de chegar aos 42 kg. Recentemente, em entrevista ao Fantástico, na Globo, falou sobre seu afastamento dos palcos devido à doença. A cantora já teve tuberculose outras três vezes. A primeira, foi do tipo mais comum, a pulmonar. Mas como não percebeu que estava com a doença, acabou não se cuidando. Agora, a condição reapareceu como uma espécie de reativação. A seguir, saiba mais sobre a doença e a importância de realizar exames médicos periódicos.

O que é turbeculose ganglionar?

É uma das formas mais frequentes de tuberculose fora do pulmão. Ela acomete principalmente os gânglios linfáticos, formando nódulos na região do pescoço. “Normalmente, a bactéria entra no organismo por meio das vias respiratórias. Ela pode permanecer no organismo inativa por muito tempo até que alguma situação, como o estresse, diminui o sistema imunológico do paciente, favorecendo sua proliferação e, consequentemente, a manifestação da doença”, esclarece Claudio Gonsalez, infectologista do Hospital Santa Paula (SP). Cuidado!

Sintomas

“Os sinais não chamam muita atenção no início, mas, conforme o tempo passa, vão ficando mais intensos. São eles: febre, calafrios, aumento dos gânglios com dor no local, perda do apetite, emagrecimento e suor excessivo”, diz.

Prevenção

A principal maneira de prevenir a tuberculose em crianças é com a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin), ofertada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). Normalmente já administrada para os bebês na maternidade, com 48 horas de vida.

Tratamento

O paciente deve ser tratado com quatro antibióticos durante pelo menos seis meses.

Exames de rotina

É comum muitas pessoas visitarem o médico apenas quando a saúde já está bastante debilitada. Mas isso é um erro, pois dificulta o tratamento. A melhor forma de evitar qualquer problema de saúde é a prevenção. Mas qual é a idade certa para fazer exames de rotina? Segundo Otavio Gebara, diretor clínico do Hospital Santa Paula (SP), a indicação é de que, quando há fatores de risco, como sobrepeso, sedentarismo e tabagismo, deve-se iniciar uma rotina de exames quando o médico orientar. “Já quando não há antecedentes ou fatores de risco, os exames devem ser iniciados, no máximo, aos 40 anos.” A seguir, veja os principais exames que precisamos fazer anualmente:

EXAME DE SANGUE: “Geralmente é pedido no ginecologista. Ele checa os hormônios e as funções básicas do nosso organismo, como a função renal, hepática e de tireoide”, explica Camila Ramos, ginecologista da Policlínica Granato (RJ).

MAMOGRAFIA: “É o principal exame para detectar lesões benignas e cânceres. Mulheres acima dos 40 anos devem fazer o exame anualmente. Pacientes entre 16 e 39 anos devem fazer ultrassom de mama quando o médico julgar necessário”.

COLPOCITOLOGIA: serve para analisar a vulva, a vagina e o colo do útero e identificar inflamações ou doenças como o HPV e o câncer. Normalmente é solicitada em caso de alteração no papanicolau.

ULTRASSONOGRAFIA PÉLVICA E TRANSVAGINAL: o exame avalia os ovários, o endométrio e a parede uterina para identificar possíveis alterações nesses órgãos. É indicado quando o ginecologista nota alguma alteração durante o exame físico feito no consultório. Também é solicitado quando existe a necessidade de investigação complementar de disfunções hormonais e menstruação irregular.

DENSITOMETRIA ÓSSEA: serve para medir a densidade dos ossos, a possível perda de massa óssea, além de atuar na prevenção e no diagnóstico de osteoporose. É indicado para as pacientes que têm risco e para mulheres a partir de 65 anos.

Alimentação balanceada

“Uma alimentação saudável e equilibrada promove bem-estar físico e mental, aumenta a qualidade de vida e previne doenças. O cardápio deve ser composto de alimentos innatura e legumes, verduras e frutas, preferencialmente orgânicos. Por outro lado, o consumo frequente de doces, alimentos processados, congelados e ricos em sódio e refrigerantes deve ser evitado”, afirma a nutricionista Rachel Machado.

Sou sedentária?

De acordo com os especialistas, atividade física é qualquer movimento corporal produzido pelo músculo esquelético que gera um gasto energético como, por exemplo, limpar a casa, dirigir e subir escada. “Mas, para não ser considerada sedentária, a pessoa precisa queimar mais ou menos 300 calorias por dia. Ela consegue isso com atividades físicas de intensidade moderada, pelo menos cinco vezes por semana e durante 30 minutos”, finaliza Camila.