Dia mundial da doação do leite: veja como funciona e se torne uma doadora

Serviço é disponibilizado à rede pública e privada, ajuda famílias com dificuldades de amamentação e bebês em UTIs neonatal

Da Redação Publicado terça 19 maio, 2020

Serviço é disponibilizado à rede pública e privada, ajuda famílias com dificuldades de amamentação e bebês em UTIs neonatal
Dia Mundial da Doação do Leite Humano é celebrado nesta terça-feira (19) - Pixabay

O Dia Mundial da Doação do Leite Humano é celebrado nesta terça-feira (19). Com isso, o Ministério da Saúde e a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano promovem a Campanha Nacional de Doação de Leite Materno, para conscientizar e incentivar a doação de leite materno, responsável por salvar a vida de milhares de crianças.

A amamentação é um processo de adaptação tanto para as mulheres quanto para os bebês. A enfermeira obstetra Cinthia Calsinski explica que é comum ter dúvidas sobre alimentação e cuidados, e faz um alerta para as mamães de primeira viagem.

“É comum que a mulher tenha dúvidas relacionadas ao seu processo e, em alguns casos, o bebê pode não pegar a mama adequadamente. Com isso, pode haver ingurgitamento mamário e machucados nos mamilos da mãe”, diz.

Por conta da pandemia, as unidades estão disponibilizando atendimentos para as mães com dificuldades via telefones, vídeo-consultas e redes sociais. “O número de doadoras e o volume de leite coletado caiu 60% nos bancos de leite de São Paulo. A orientação para as mães é prenderem o cabelo e sempre usar máscara na hora de coletar o leite para doar”, orienta Cinthia.

COMO DOAR

Depois da coleta, é preciso colocar o frasco no congelador. O leite pode ficar armazenado por, no máximo, dez dias. Além disso, a mulher que decidir tornar-se doadora não precisará sair de sua casa, pois os bancos de leite realizam a coleta domiciliar, atendendo aos critérios e recomendações da Rede Brasileira de Bancos de Leite e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária [Anvisa].

Apesar da pandemia, a enfermeira indica que estudos recentes não indicam o contágio do novo coronavírus por meio do leite materno. Mesmo assim, o alimento doado é submetido a uma série de procedimentos, como a controlação e pasteurização, para garantir a qualidade. Mulheres com sintomas gripais, infecções respiratórias ou que testaram positivo para covid-19 não podem doar.

“Qualquer família que tenha um problema ligado à amamentação, pode receber apoio e orientação de um banco de leite. E as mulheres com excesso de leite podem ser doadoras, ajudando a alimentar bebês que estão em UTIs neonatal de hospitais vinculados ao banco de leite que visitaram”, completa a profissional.

Último acesso: 12 Aug 2020 - 14:55:31 (1110917).