Como a aromaterapia pode ajudar a melhorar a sua saúde? Especialista explica

Os aromas nos levam a lugares dentro e fora de nós a todo tempo

Renata Isa Santoro Publicado sexta 15 janeiro, 2021

Os aromas nos levam a lugares dentro e fora de nós a todo tempo
O óleo essencial é um extrato da planta natural e tem ação terapêutica sobre o nosso corpo e nossas emoções - Banco de Imagem/Pixabay

Entrar naquela loja de roupas e sentir um aroma agradável e que te faz querer passar mais tempo ali dentro. Abraçar uma pessoa e a reconhecer pelo cheiro amadeirado de seu perfume diário, entrar numa confeitaria e se deixar ser levado à infância pelo forte aroma de canela... Os aromas nos levam a lugares dentro e fora de nós a todo tempo, mas saiba que eles também podem causar um impacto positivo em seu bem-estar.

Quando utilizado na saúde, os aromas podem vir através dos óleos essenciais. Você já ouviu falar? Vou contar para vocês, mas antes veja o que precisa saber na hora de pensar neste tipo de produto:

Óleo essencial difere de essência. Hoje em dia, essência é um produto sintético de baixo custo, sem efeitos terapêuticos, já o óleo essencial é o extrato da planta, natural e tem ação terapêutica sobre o nosso corpo e nossas emoções.

• Não vale sair por aí passando óleos essenciais, puros, pelo seu corpo e rosto, pois quando mal prescritos e mal utilizados podem dar reações na pele.

- Os óleos essenciais são extremamente concentrados. Para se ter uma ideia, são necessárias 30 toneladas de rosas para produzir 1 litro de óleo essencial, aumentando o custo em sua aquisição. Uma única gota de óleo essencial de capim-limão equivale a 30 xícaras de chá desta erva.

- É muito importante uma consulta com médico aromaterapeuta antes de utilizar os óleos essenciais, pois algumas doenças em específico, gestantes e crianças têm restrições no uso desta terapia.

- Não se pode tomar óleo essencial, mesmo que diluído. Esse tipo de produto não deve ser ingerido. Apesar do seu uso via oral na França, no Brasil não existe uma legislação sobre ingestão de óleos essenciais.

COISA ANTIGA
Os humanos têm usado a aromaterapia por milhares de anos. Culturas antigas na China, Índia, Egito e outros lugares incorporaram componentes de plantas aromáticas em resinas, bálsamos e óleos, fazendo uso para fins médicos e religiosos, mas com benefícios físicos e psicológicos também conhecidos.

O termo aromaterapia foi descrito pelo perfumista e químico francês René-Maurice Gattefossé em 1937, onde já havia descoberto sobre o potencial de tratamento de queimaduras com a lavanda.

Hipócrates, considerado o “pai da medicina”, já dizia lá em 400 anos antes de Cristo: “Para gozar de boa saúde, é preciso tomar um banho perfumado e fazer massagem com óleos todos os dias”.

O QUE SÃO ÓLEOS ESSENCIAIS E O QUE É AROMATERAPIA?oleoÓleos essenciais são basicamente extratos de plantas, produzidos de partes como sementes, raízes, folhas, caules, frutas e flores, com sua produção variando dependendo do tipo da planta.

Eles podem elevar o seu humor e fazer você se sentir bem em apenas um cheiro de sua fragrância específica. Para algumas pessoas, elas podem até ajudar a aliviar os sintomas de várias condições, tais como enxaqueca, labirintite e dores musculares.

Aromaterapia é a prática de promover o bem-estar físico, mental e emocional através do uso dos óleos puros e naturais. A aromaterapia tem sido usada há séculos.

COMO FUNCIONA?
Quando inaladas, as moléculas de odor que são liberadas pelos óleos viajam pelo nosso nariz, pelos nervos olfatórios diretamente para o cérebro, chegando no sistema nervoso e impactando especialmente o sistema límbico (que é a parte do cérebro que controla as emoções). Quando os aromas atingem essa região cerebral, podemos sentir os seus benefícios sobre as nossas emoções, como alegria, bem-estar, tranquilidade e otimismo. 

Os óleos também são absorvidos pela pele e podem obter efeitos terapêuticos dependendo da sua estrutura químicas, pois, assim como as medicações convencionais, possuem compostos anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes, por exemplo.

MAS PARA QUE SERVE?
Muitos estudos estão sendo realizados com cada óleo em específico, pois cada um deles tem uma atuação diferente por possuírem atividades químicas diversas.

Embora seja um produto natural, não se deve abusar, pois o fato de ser natural não significa que possa ser utilizado em grande escala. Não existem pesquisas fortes suficientes para determinar sua eficácia, apesar de existirem vários estudos indicando benefícios no seu uso, especialmente em questões como ansiedade, estresse, depressão, náuseas e insônia. 

Apesar disso, alguns estudos são muito promissores. Um exemplo é o que está sendo desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Os pesquisadores descobriram, por exemplo, que determinados óleos podem matar um certo tipo de bactéria, a da doença de Lyme.

A qualidade dos produtos varia muito no mercado, desde os diluídos, falsificados até os puros e legítimos. É preciso cuidado na aquisição e uma avaliação criteriosa de cada caso por um terapeuta qualificado.

Seus benefícios:

  • gerenciar a dor
  • melhorar a qualidade do sono
  • reduzir o estresse, agitação e ansiedade
  • enxaqueca
  • melhorar digestão
  • trazer equilíbrio em seu vínculo com as suas emoções
  • sintomas da menopausa e tensão pré-menstrual
  • depressão
  • fadiga

MODALIDADES QUE SÃO PRESCRITAS PELOS TERAPEUTAS

  • Acessórios com aromaterapia: colares, pulseiras, chaveiros feitos com materiais absorventes que você aplica o óleo e sente o aroma durante o dia.
  • Óleo corporal: uma mistura de óleos essenciais específica para seu caso, junto com um óleo carreador como o de semente de uva, de abacate, coco que pode ser massageado na pele.
  • Vareta de aroma (spritzers): também chamado de inalador de óleo essencial, são bastões portáteis que tem um pavio absorvente dentro de um recipiente de vidro, onde o bastão absorve o óleo e você o retira do vidro para sentir o aroma e o coloca de volta.
  • Preparações em rol-on ou em cremes: onde o terapeuta irá prescrever uma fórmula personalizada para sua história, queixas e emoções e poderá ser passada em alguma região da pele como nos pulsos.

Vale lembrar que a aromaterapia é utilizada como terapia complementar, em paralelo a um tratamento médico.

Para saber mais informações sobre como utilizar a aromaterapia em um estilo de vida saudável, consulte um médico aromaterapeuta. Durante a consulta você responderá perguntas e falará sobre seu estilo de vida e saúde. Juntos, podem chegar a um plano de tratamento individual para atingir seus objetivos e gerenciar seus sintomas.

Como a aromaterapia é uma terapia complementar, você deve falar com seu médico antes de iniciar suas sessões. Dessa forma, pode ser adaptada para trabalhar em conjunto com qualquer tratamento que você esteja recebendo.

Qual seu aroma preferido?

Gratidão,

RENATA ISA SANTORO é médica, Mestre em Ciências pela UNICAMP (Universidade de Campinas), atua como Terapeuta com técnicas Integrativas e Complementares, Especialista em Cardiologia Infantil, palestrante e Autora do livro “Poderosa Leveza de Ser” (editora Chiado). Na Ana Maria, fala sobre terapias integrativas e complementares para a saúde e bem-estar. Instagram: @drarenataisasantoro.

Último acesso: 11 May 2021 - 15:49:45 (1136678).