AnaMaria

Herpes labial: saiba mais sobre a doença que deu o que falar no 'BBB22'

Após beijo de Eliezer e Natália, explicamos tudo sobre a doença; saiba mais

Juliana Ribeiro, repórter de AnaMaria Digital Publicado em 11/02/2022, às 13h40

Com herpes labial, Eliezer beijou Natália no 'BBB22' e recebeu alerta de Maria - Reprodução/ Globo
Com herpes labial, Eliezer beijou Natália no 'BBB22' e recebeu alerta de Maria - Reprodução/ Globo

O 'BBB22' começou há menos de um mês, mas os beijos na casa já rolaram aos montes. Um deles, entre Eliezer e Natália, chamou a atenção durante a festa realizada na madrugada da última quinta-feira (10).

Tudo porque o brother foi alertado por Maria, com quem já tinha um affair no reality, que ele está passando por uma crise de herpes labial, um vírus infeccioso que pode ser transmitido facilmente. "Não tem nenhum problema. Só fico preocupada por você estar com herpes e ela não ter ligado", repreendeu a sister na ocasião.

A dermatologista Carolina Milanez, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), explica que a herpes é uma infecção causada por vírus e que pode surgir em qualquer lugar da pele. "Geralmente aparece nos lábios, mas pode ser em outros locais também", ressalta.

E como saber se você está passando por uma crise da doença? Fique de olho na sensação de ardência, coceira e dor, além de bolinhas de água que surgem na região afetada, sem necessariamente dar febre.

MAS SERÁ PEGA FÁCIL ASSIM MESMO?

A preocupação da sister Maria, de fato, faz todo sentido. Segundo a especialista, beijar alguém no auge da crise, como aconteceu com Eliezer e Natália, pode ser realmente um problema. “Pois o vírus está concentrado na lesão, e o contato direto pode causar a doença na outra pessoa", afirma Carolina.

E fica a dica, viu! Ao contrário do que o brother fez, a pessoa com herpes ativa precisa parar de beijar qualquer pessoa, o que inclui bebês, idosos e aqueles com baixa imunidade, justamente para não transmitir o vírus.

Além disso, é preciso também ter atenção redobrada quanto aos objetos e cosméticos, como talheres, copos ou batons, que não devem ser compartilhados de nenhum jeito por quem está em crise.

TEM CURA?

Infelizmente, não! Uma vez contaminado, o vírus continua no organismo. O que acontece é que muitas pessoas acabam não manifestando os sintomas, enquanto outras têm infecções recorrentes.

Segundo a especialista, a maioria adquire o vírus ainda na infância. A estimativa é que 90% das crianças já tiveram contato com a herpes simples. A boa notícia é que se a pessoa tem herpes, mas não está com crise, pode beijar, sim!

Ela lembra ainda que, nas crises, é necessário tratar com medicamentos (via oral) para diminuir o tempo da doença e as possíveis complicações. "Um dos tratamentos propostos para Herpes recorrente é o uso de um aminoácido chamado Lisina", aponta.

NÃO PODE COMER DE TUDO, HEIN!

A dermatologista alerta que alguns procedimentos estéticos mais profundos, como laser, peelings e dermoabrasão, por exemplo, podem predispor ao aparecimento de herpes por tirar as defesas naturais da pele, já que a mesma fica lesionada.

"Nestes casos, antes do procedimento, o médico já inicia o tratamento de herpes para evitar que a infecção apareça", ela diz.

Um outro ponto que a médica destaca é quanto a alimentação. Pessoas que têm herpes simples recorrente devem evitar alguns alimentos ricos em arginina como chocolate, nozes e abacaxi, porque esse aminoácido ajuda o vírus a se replicar.

Situações de estresse, baixa imunidade e até sol em excesso podem predispor a pessoa a ter nova crise de herpes, então é preciso ficar bem atento aos cuidados.