AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Vesícula: conheça os principais alimentos que prejudicam o órgão

Cuidar da alimentação é fundamental para evitar cálculos na vesícula; veja mais dicas

Da Redação Publicado em 13/12/2021, às 08h00

Refrigerante não é o melhor amigo da sua vesícula. - Unsplash
Refrigerante não é o melhor amigo da sua vesícula. - Unsplash

A vesícula é um órgão no formato de uma pêra, localizado no lado direito do fígado. Sua principal função é armazenar e concentrar a bile produzida pelo fígado, para ser excretada no duodeno no momento da digestão de alimentos gordurosos. Viviane Gomes, nutricionista do Instituto Castro, explica que essa bile que fica armazenada na vesícula é composta por diversas substâncias, sendo as principais: água, sais biliares, bilirrubina e colesterol.

"Algumas pessoas podem ter alterações na bile ou no funcionamento da vesícula, originando Colelitíase, conhecido também como pedra na vesícula ou litíase vesicular", ressalta. Segundo ela, existem vários motivos que podem contribuir para a formação desses cálculos, em vários tamanhos e diferentes quantidades dentro do órgão. Entre os principais fatores estão obesidade, perda rápida de peso, alguns tipos de medicamentos, genética, consumo de bebidas alcoólicas e tipo de alimentação. 

Isso porque existem alguns alimentos que não devem ser consumidos, principalmente quando a pessoa já está em litíase vesicular. São eles:

  • Leite Integral;
  • Requeijão;
  • Queijo amarelos no geral;
  • Manteiga;
  • Creme de leite;
  • Maionese;
  • Temperos industrializados;
  • Ketchup;
  • Mostarda;
  • Temperos picantes;
  • Frutas como abacate, coco, açaí, e melancia;
  • Carnes gordas e aves gordas e com pele;
  • Miúdos em geral;
  • Peixes gordos;
  • Embutidos no geral;
  • Sementes Oleaginosas;
  • Hortaliças que causam gases, como: brócolis, couve flor, repolho, batata doce, cebola;
  • Fast food;
  • Frituras;
  • Biscoitos recheados;
  • Alimentos industrializados e ultraprocessados, como refeições congeladas;
  • Chocolates;
  • Refrigerantes e bebidas alcoólicas.

"Os alimentos citados são gordurosos e também aumentam a quantidade de colesterol, estimulando a excreção de bile pela vesícula", explica Viviane. "Esse processo estimula a movimentação da vesícula, fazendo com que os cálculos se movimentem, o que pode levar a formação de novos cálculos pelo aumento do colesterol." 

TENHO O PROBLEMA?
Os principais sintomas são dores fortes do lado direito do abdômen, náuseas com vômitos e febre. Tudo porque, no momento das crises, os cálculos em tamanhos menores se deslocam e podem se alojar nos ductos biliares, interrompendo o fluxo de bile, que se acumula na vesícula e gera refluxo pelos ductos intrahepáticos, causando problemas no fígado e afetando o organismo. 

"Os cálculos podem se alojar nos ductos pancreáticos, levando a crises de pancreatite também, pois o canal que leva a bile da vesícula para o intestino passa dentro do pâncreas e se junta no canal principal, drenando o suco pancreático", ressalta a nutricionista. Quando se tem a obstrução dos ductos, o suco pancreático fica impedido de passar e começa a agredir o órgão, provocando a pancreatite, quadro que necessita de internação por ser um quadro grave. 

SEM CRISES

Dá para evitar as crises optando pela alimentação saudável, ressalta Viviane Gomes. Assim, dê preferência para:

  • Carnes magras, retirando a gordura aparente antes do preparo;
  • Aves sem pele e pedaços, pois a mesma contém grande quantidade de gordura;
  • Preparações cozidas, assadas ou grelhadas;
  • Peixes cozidos, assados e grelhados;
  • Hortaliças que não fermentam e cozidas;
  • Sobremesas a base de frutas e gelatinas;
  • Infusões não concentradas com excesso de cafeína;
  • Consumir chá de camomila, erva doce, erva cidreira;
  • Fazer as refeições em ambientes calmos, sem TV ou celular;
  • Não tomar líquidos nas refeições, limitando a até uma hora antes ou uma hora após;
  • Não ficar longos períodos em jejum e se alimentar a cada 3 horas;
  • Fazer pequenas refeições.

"Como citado acima, procure alimentos com baixo teor de gordura e se atente à quantidade de açúcar e carboidrato branco, evitando ganho de peso", orienta Viviane. Para pessoas com obesidade ou sobrepeso, a indicação é  fazer uma reeducação alimentar, a fim de perder peso de forma gradual, não esquecendo de consumir água para manter a hidratação. 

Já em casos de crise de colecistite, é necessário buscar atendimento médico, pois o tratamento, nestes casos, é cirúrgico e inclui a realização da colecistectomia, que consiste na retirada da vesícula biliar. A cirurgia demanda recuperação de 30 a 90 dias, requer uma dieta Hipolipídica, ou seja, com baixo teor de gordura. Após a recuperação, com o organismo readequado para a digestão dos alimentos gordurosos, passa-se a ter uma vida sem restrições.

{# Taboola Newsroom #}