AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Quais são os erros mais comuns de quem tem plantas em casa?

Especialista ainda dá dicas de como manter as plantas vivas e saudáveis por mais tempo

Da Redação Publicado em 17/05/2022, às 09h00

Com cuidados específicos, suas plantinhas podem continuar vivas e saudáveis. - Vadim Kaipov/Unsplash
Com cuidados específicos, suas plantinhas podem continuar vivas e saudáveis. - Vadim Kaipov/Unsplash

Conviver com plantas dentro de casa é uma alternativa leve e elegante de trazer um pouco da natureza para o lar e o dia a dia. Muito comum entre os brasileiros, a prática de cultivar espécies no conforto de casa é divertida, relaxante e traz um aspecto aconchegante para qualquer ambiente, mas é preciso tomar os cuidados específicos para que as plantinhas continuem vivas e saudáveis depois de deixarem as floriculturas.

Para seguir florescendo mesmo em ambientes fechados, as espécies ornamentais precisam ter suas necessidades básicas atendidas, e não é difícil ouvir relatos de pessoas que decidiram incluir a convivência com plantas na rotina, mas tem dificuldades em mantê-las vivas por períodos mais longos.

“É comum que as pessoas não saibam muito bem o que fazer ao adquirir uma planta. Acabamos acreditando que só fornecer água já é suficiente, mas há muitos outros fatores envolvidos para que elas sigam fortes e vigorosas”, afirma a engenheira agrônoma Sheila Valério, consultora da Esalflores.

AnaMaria Digital lista os quatro erros mais comuns de quem cultiva plantas em casa. Confira!

FALTA OU EXCESSO DE ÁGUA

A água é essencial para a manutenção da vida das plantas, mas isso não quer dizer que elas precisem de água o tempo todo. “Nem todas as espécies precisam de regas diárias, portanto colocar muita água na terra ou nas folhas pode acabar fazendo mal, já que afoga a raiz e não permite que a planta respire, levando a podridão da raiz”, explica a especialista.

Do mesmo modo, a falta de água compromete a respiração e o recebimento de nutrientes nos tecidos fazendo com que ela morra. “O ideal é pesquisar a frequência de regas indicada para cada espécie e checar diariamente a umidade da terra, para que não fique nem muito seca, nem encharcada”, acrescenta.

POUCA LUZ

A quantidade de luz interfere diretamente no crescimento e desenvolvimento das plantas, já que é essencial para a realização do processo de fotossíntese, responsável pela produção de energia para a sobrevivência. “Muitas vezes o local que a planta vai ficar dentro da casa é definido pelo espaço disponível ou alinhamento com a decoração do ambiente, o que acaba limitando o acesso dessa planta a luz do sol. Mesmo as plantas de sombra exigem pelos menos algumas horas no sol”, esclarece a engenheira agrônoma.

CUIDADO COM AS PRAGAS E DOENÇAS 

Todas as plantas, mesmo em ambientes domésticos, estão suscetíveis a encarar uma praga. “Para que as plantinhas de casa não sofram com nenhuma praga é preciso que elas estejam bem nutridas. Para saber se elas precisam de substrato ou adubação basta estar atento as características comuns da espécie. Se as folhas estiverem muito amareladas por exemplo é sinal de que ela não está recebendo os nutrientes necessários”, explica a profissional.

VASO DE TAMANHO INADEQUADO

Um dos principais erros ao cultivar plantas em vasos é ignorar a necessidade de transferi-las para um vaso maior. “Conforme vão se desenvolvendo, muitas espécies podem dobrar de tamanho ou mais, e para que o crescimento seja sadio é preciso garantir a ela o espaço necessário”, diz Sheila. Barrar o desenvolvimento da planta por falta de espaço fará com que ela definhe e morra em pouco tempo. “Os principais sinais de que as plantas precisam ser trocadas de vaso são, raízes emboladas e vasos rachados ou deformados, além de folhas frágeis e caídas”, completa.

{# Taboola Newsroom #}