AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria
Coluna Aventuras Maternas / Tudo em ordem!

Casa organizada: veja dicas práticas para botar ordem na bagunça das crianças

Para ajudar na arrumação da casa, conversamos com especialistas para você alcançar a tão sonhada organização

*Priscila Correia, do Aventuras Maternas, colunista de AnaMaria Digital Publicado em 08/09/2023, às 10h06

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Quando se trata de famílias com crianças, essa falta de gerenciamento interno pode atingir mais que a rotina de casa - Unsplash
Quando se trata de famílias com crianças, essa falta de gerenciamento interno pode atingir mais que a rotina de casa - Unsplash

Na rotina da maternidade, muitas vezes enfrentamos um desafio digno de conto de fadas moderno: conciliar o desejo de manter a casa organizada com a realidade inegável de ter filhos saudáveis e com muita vontade de brincar por todos os cômodos da casa.

Enquanto o coração anseia por um ambiente limpo e ordenado, a vida com crianças costuma se traduzir em blocos espalhados pelo chão, paredes rabiscadas e um mar de brinquedos. E nessa batalha entre a arrumação e a imaginação infantil, como as mães e os pais podem encontrar o equilíbrio?

Como aceitar que a perfeição nem sempre é possível e, ao mesmo tempo, envolver seus filhos nas tarefas domésticas de forma positiva? Para ajudar nessa rotina e na arrumação da casa, a coluna de hoje chega com dicas de especialistas para alcançar a tão sonhada organização.

ESPAÇOS QUE AJUDAM A ORGANIZAR

Organização é tudo, seja no ambiente familiar, no trabalho, na hora de estudar, de elaborar o cardápio semanal, etc. No entanto, quando se tem crianças envolvidas, a teoria pode, nem sempre, estar alinhada à prática possível.

Segundo a arquiteta Patricia Miranda, do escritório Raízes Arquitetos, e que também é mãe, o segredo não é restringir a diversão dos pequenos, mas encontrar maneiras eficazes para que tudo fique no seu devido lugar depois da brincadeira. Para ela, entre brinquedos espalhados, sujeira inesperada e uma agenda cheia, é possível encontrar meios que ajudem na tarefa essencial de manter os itens nos seus devidos lugares.

O casal de arquitetos Priscila e Bernardo Tressino, do escritório PB Arquitetura, que têm duas filhas pequenas, explica que, especialmente no período das aulas, a correria do dia a dia acaba ficando ainda maior, enquanto o tempo para a arrumação mais escasso. “Pensando nisso, é necessário traçar algumas ações para a rotina diária, tanto para as crianças menores, como para os pré-adolescentes, de forma que eles contribuam na organização do lar, assim como dediquem momentos aos estudos, mas que também tenham os horários para brincadeiras e curtir séries de TV, por exemplo”, diz Bernardo.

Outro  detalhe importante e que não facilita na hora de organizar é a questão de espaço interno da maioria dos apartamentos. Entretanto, é possível, sim, manter a ordem com algumas ferramentas simples, de forma que cada coisa fique em seu lugar certo. Caixas, cestos organizadores para juntar brinquedos de um mesmo tipo, como blocos de montar, carrinhos ou bonecas, são ótimas opções.

"Outra alternativa que agrega na decoração é a instalação de nichos de marcenaria planejados, principalmente se as crianças tiverem algum tipo de coleção, pois cria um visual lindo! Dessa forma, todos ficam expostos e organizados”, recomenda Priscila, que complementa: “Eduque os pequenos desde cedo com o princípio de cada coisa em seu lugar. Se eles aprenderem a brincar e guardar, todo mundo sai ganhando."

É importante lembrar, ainda, que por mais simples que possam parecer, as tarefas de casa, se não executadas de forma ordenada e contínua, podem trazer um verdadeiro estresse para o lar, especialmente se acumuladas. E quando se trata de famílias com crianças, essa falta de gerenciamento interno pode atingir mais que a rotina de casa - para muitos, pode mexer até com o equilíbrio emocional e gerar uma sensação de falta de organização em diversos aspectos da vida.

Para Rosangela Kubota, personal organizer da Ro Organiza, é possível utilizar técnicas para manter os ambientes e elementos arrumados, tornando o dia a dia mais agradável, prático e organizado, mesmo com os pequenos em casa. Na sequência, Patricia sugere sete dicas que resultam em ações práticas e criativas para os ambientes familiares:

  1. Espaços multiuso inteligentes: Em primeiro lugar, ela enfatiza a importância de criar espaços multiúso e explica ser essencial considerar a funcionalidade de móveis com espaços de armazenamento embutido, como gavetas, nichos ou prateleiras, que ajudam a manter os brinquedos organizados e ao alcance das crianças.
  2. Zonas de atividade: Estabelecer zonas distintas de atividades em ambientes compartilhados é de extrema relevância, especialmente ao lidar com crianças pequenas. A definição de horários para estudo e brincadeiras não apenas oferece uma estrutura saudável para o desenvolvimento infantil, mas também maximiza o potencial de aprendizado e diversão. "Ao valorizar um espaço multiuso, onde as crianças podem explorar seu lado criativo enquanto se dedicam aos estudos, estamos não apenas fomentando a disciplina, mas também incentivando a imaginação e a flexibilidade", detalha Patricia. 
  3. Materiais de fácil limpeza: Quando se trata de escolher móveis e materiais para a casa, Patricia sugere eleger opções duráveis e de limpeza simplificada. Superfícies como couro sintético e tecidos resistentes às manchas são possibilidades inteligentes para móveis e estofados, e os pisos de madeira, vinil e porcelanato são infinitamente mais simples para limpar quando comparados ao carpete.
  4. Organização vertical: Para a arquiteta, uma solução para evitar o chão frio para as crianças é o piso de madeira, que tende a não ficar tão gelado nos dias mais frios. Incorporar um tapete adiciona uma maior proteção para os pequenos.
  5. Envolvimento das crianças: É fundamental envolver as crianças nas tarefas de organização e limpeza. "Faça delas parte do processo, praticando, desde cedo, o hábito de guardar os brinquedos e contribuir com a realização de pequenas tarefas. Isso não só ajuda a manter a casa arrumada, como também promove o senso de responsabilidade”, diz.
  6. Estoque produtos de limpeza seguros: Com crianças em casa, é fundamental ter produtos de limpeza fora do alcance dos pequenos. Na área de serviço, armários mais altos ou com portas pesadas cooperam no desafio de mantê-los longe de materiais que causam danos à saúde.
  7. Decoração inteligente: Patricia sugere incorporar caixas organizadoras decorativas, cestas ou móveis que mesclem função e estética. Isso ajuda a manter a ordem enquanto complementa o design da casa. “Use a decoração a seu favor”, conclui.

Para Rosangela Kubota, há também algumas dicas que podem ser aplicadas em qualquer espaço, facilitando assim a rotina:

  • Utilização inteligente de espaço: Os itens devem ser separados de acordo os ambientes. A tarefa é mantê-los sempre nos locais corretos. Tudo deve ser arrumado pensando na praticidade e facilidade.
  • Identificação dos itens: Separe todos os ítens de acordo com seus ambientes e uso mais frequente ou esporádico. Quando definimos o lugar de cada coisa, fica mais fácil manter tudo organizado. Lembrando sempre de voltar para o lugar definido, após cada uso. Utilize etiquetas para identificar os locais corretos, assim fica mais fácil para a família lembrar onde precisa guardar.
  • Use produtos organizadores: Os organizadores além de te ajudar otimizar os espaços, também são ótimos aliados para manter cada coisa em seu lugar, facilitando a ordem. Com o crescimento do mercado da organização, os profissionais estão sendo pensando em formas que vão além de organizar. Bandejas, cestos e ganchos são ótimos exemplos.
  • Confira sempre a validade: Quando não tem um sistema de organização é muito comum encontrarmos alimentos, medicamentos e cosméticos vencidos. Uma ótima sugestão é quando for repor esses produtos, coloque sempre para trás os produtos com validade maior, deixando na frente os que irão vencer primeiro. Separar os alimentos por data de validade na geladeira é uma rotina que deve ser absorvida para ontem. Itens vencidos vão para o lixo.
  • Habituar-se a doar e descartar: Todos os itens que não tiverem mais utilidade devem ser doados: peças de roupas, itens decorativos que não combinam mais com seu lar ou seu momento. Adequar essa regra ao cotidiano e organizar qualquer peça pela sua frequência de uso vai fazer com que ganhe espaço e tenha o que precisa sempre a vista.

QUEM PODE AJUDAR

Embora a ajuda dos filhos na arrumação da casa seja essencial, tanto para ajudar no dia a dia quanto para aprenderem sobre organização e responsabilidades, uma questão certamente norteia a cabeça da maioria das mães: como saber se meu filho já tem a idade certa para uma tarefa?

Para Miriam Sales, coordenadora pedagógica da Mind Lab, não importa a idade, nem se são marinheiros de primeira viagem ou se já acumulam alguma experiência. Em algum momento do exercício da parentalidade, todo pai e toda mãe já se deparou com essa dúvida.

Ela explica que o tempo certo da autonomia para as crianças é bastante subjetivo e pode sofrer pequenas variações de criança para criança. De forma geral, porém, existem algumas pequenas tarefas que podem ser atribuídas com relativa segurança conforme a criança vai amadurecendo.

Abaixo, algumas orientações de Miriam Sales que contribuem para desenvolver uma das habilidades socioemocionais mais importantes ao longo da vida de uma pessoa: a autonomia.

Aos 2 anos: A criança já tem capacidade para guardar os próprios brinquedos ao final da brincadeira, consegue comer sozinha, tirar e calçar o tênis sem cadarço e escolher o livro que gostaria que o pai ou a mãe lesse antes dela dormir.

Aos 3 anos: A partir desta idade, a criança já tem autonomia para colocar a roupa suja no cesto. Ela também pode começar a organizar a mochila que leva para escola.

Aos 4 anos: Já é possível deixar a criança ir ao banheiro sozinha, com alguma supervisão, e ela pode também organizar a mochila de roupas quando for dormir na casa de algum parente. Não se desespere se as primeiras mochilas estiverem bastante incompletas. Mostre o que faltou para ajudá-la a entender o que ela necessita quando dorme fora de casa.

Aos 5 anos: Seu filho ou filha já pode fazer a higiene pessoal quando vai ao banheiro. Pode também trocar de roupa e fazer o próprio prato no momento da refeição.

Aos 6 anos: Os animais de estimação são muito queridos pelas crianças desde pequeninas, certo? A partir desta idade, elas podem se responsabilizar por alimentar os pets da família. A arrumação do quarto em que dormem também pode ficar por conta delas.

Contudo, Miriam faz um alerta: "É muito importante não perder de vista que o simples fato de ter atingido a idade não basta para que a criança comece a executar essas tarefas. É preciso ensiná-las a fazer o que você pede”, ressalta a pedagoga. Também é essencial estar ciente de que pode levar algum tempo até que seu filho ou filha conquiste essa autonomia. O importante é perseverar e ensinar a criança com amorosidade de gentileza", destaca.

EXPECTATIVA X FRUSTRAÇÃO

Organizar a casa envolve mais do que colocar as coisas no seu devido lugar. É preciso saber, também, a respeitar os nossos limites e dos filhos, pois a vida real não é feita apenas de perfeição. Abaixo, separamos 10 dicas que podem ajudar nessa árdua missão de conciliar arrumação, cuidados com os filhos e expectativas, por vezes, frustradas.

  • Gerencie expectativas: Não se cobre demais para manter a casa perfeita. É normal que crianças causem bagunça;
  • Priorize o que é importante: Identifique o que é realmente essencial em termos de organização e concentre-se nisso;
  • Envolva as crianças: Inclua seus filhos em tarefas domésticas adequadas à idade para ensinar responsabilidade;
  • Eduque sobre organização: Ensine habilidades de organização desde cedo para criar hábitos positivos;
  • Tempo de qualidade: Encontre maneiras de passar tempo de qualidade com seus filhos enquanto realiza tarefas domésticas;
  • Comunique expectativas: Mantenha uma comunicação aberta sobre as expectativas em relação à organização com seus filhos;
  • Aceite a imperfeição: Saiba que a bagunça ocasional faz parte da vida com crianças. Não se estresse com cada desordem;
  • Busque apoio: Procure ajuda de familiares, amigos ou serviços domésticos quando possível;
  • Pratique o autocuidado: Tire um tempo para si mesma para recarregar energias e manter um equilíbrio saudável;
  • Faça intervalos criativos: Reserve momentos para pausas criativas com seus filhos, cultivando laços especiais durante a jornada da maternidade.