AnaMaria

Do litoral à Serra: veja ideias de uma viagem pelo Nordeste com crianças

Viagem com crianças: ideias para aproveitar o Nordeste do litoral à Serra

*Priscila Correia, do Aventuras Maternas, colunista de AnaMaria Digital Publicado em 03/12/2021, às 08h00

Passeio de bugre é sucesso no Nordeste. - Arquivo pessoal
Passeio de bugre é sucesso no Nordeste. - Arquivo pessoal

Que o Verão combina com natureza a gente já sabe, mas é melhor ainda se tiver praia, dunas, buggy, água de coco, animais marinhos e uma imensidão de opções ao longo do litoral. E, ao pensar em tudo isso, a primeira região que vem à mente é o Nordeste. Afinal, não é a toa que os estados com as praias mais lindas do Brasil estão sempre na preferência das famílias que querem viajar pelo país e aproveitar uma boa dose de sombra e água fresca nos dias de calor.

Mas o Nordeste vai muito além de suas famosas praias, pois também tem serra, sítio arqueológico, muita cultura e história. Por isso, a coluna de hoje viaja do Sul da Bahia até o Norte do Maranhão para descobrir o que destinos conhecidos e outros nem tanto têm guardados para as crianças.

BAHIA DE TODOS OS SANTOS
Nossa viagem começa pelo Sul da Bahia. Em Caraíva, a curtição começa entre a praia e o rio, onde é possível descer de boia. O passeio de bugre é outro ponto com ida até o Rio Corumbau. São 30 minutos de trajeto com piscinas naturais pelo caminho. Chegando ao rio, deixamos o bugre e atravessamos de canoa para a Barra do Corumbau, onde fica o Bar Uaça (uma delícia de lugar, com esteiras na grama, coqueiros, chuveiro, comida boa e Internet. Perfeito para ir com bebê pequeno). A praia é deslumbrante.

Outro passeio marcante pela história do Brasil é a visita à tribo Porto do Boi. A jornada começa à beira do rio Caraíva, no Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal. A travessia dura em torno de 30 a 45 minutos até chegar na Aldeia Pataxó. Ao chegar, um membro da tribo faz a recepção, apresentando alguns ensinamentos e mostrando um pouco da natureza linda de Mata Atlântica que cerca o local e leva até a Oca dos Rituais. É possível participar do Ritual Awê, o momento mais especial da visita, com rezas, cantos e danças Pataxós, conhecer o artesanato deles e, claro, comprar algumas peças.

Subindo mais um pouco, partimos para Ilhéus, conhecida como Costa de Cacau, que tem um dos mares mais azuis e com a areia mais clarinha da Bahia. Vale fazer um passeio pelo centro histórico da cidade, conhecer a Catedral de São Francisco, e logo em frente o Bar Vesúvio, que ficou famoso pelos livros do escritor baiano Jorge Amado - por lá, inclusive, é possível registrar o momento ao lado de uma estátua em sua homenagem. Andando mais um pouquinho, pode-se tomar um sorvete na Ponto Chic, que fica bem na esquina do Teatro de Ilhéus, que tem sabores bem baianos como cajá, cupuaçu e seriguela.

Um dos maiores destaques da cidade é a Fazenda Yrerê, que tem uma antiga história com a plantação de cacau e, por isso, é uma das fazendas da região mais procuradas para visitação. O local tem balanços para as famílias e podemos conhecer as plantações de cacau, entender como funciona a separação de sementes e como acontece a torra e a transformação delas em chocolate. Ao final da visita, acontece um lanche, em que podemos degustar tipos de chocolate e o maravilhoso suco de cacau. Outro ponto alto de Ilhéus é a visita ao Mercado de Artesanato onde é possível comprar chocolates, brinquedos educativos e de madeira para as crianças e muito mais.

Outra dica bastante interessante sobre a cidade é a diversidade de hoteis com estrutura boa para as crianças. Ficamos no Jardim Atlântico, que é preparado para receber crianças. O local possui monitores para atividades infantis, brinquedoteca e piscina infantil, além, é claro, da praia, que não possui pedras na área próxima ao hotel. E mais: o restaurante tem um cardápio bem baiano, com mingau de tapioca, cuscuz, sucos de frutas da região e tapiocas com vários recheios.

Já em Salvador, existem opções muito bacanas, como o Parque dos Ventos, com seus 85 mil metros quadrados e diversas opções de lazer e espaços esportivos, inclusive brinquedos ecológicos, e o Parque dos Dinossauros, que as crianças ficam alucinadas (mas é preciso agendar).

RIO DOS SIRIS
Você já ouviu falar nesse nome? Pois vou dar uma dica: esse é o significado do nome do estado com uma das histórias e culturas mais ricas do nosso país, Sergipe. Em Aracaju, sua capital, há uma infinidade de locais para curtir com os pequenos. E não, não estamos falando apenas das praias – há, inclusive, quem diga que é o estado do Nordeste com mais opções específicas para crianças. Para começar, há o Oceanário de Aracajú, onde existe o projeto Tamar. O local é uma estação com 1.700m2 em forma de tartaruga e que conta com 18 aquários com diferentes espécies de arraias, tubarões e, claro, tartarugas marinhas.

Para quem não abre mão de uma atração diferenciada, outro passeio bacana com os pequenos é no Cânion do Xingó. O local fica na divisa entre Sergipe e Alagoas, e é uma das maiores maravilhas naturais do Nordeste. A “fenda” esconde um local paradisíaco e com águas verdes onde é possível, também, entrar na água. Mas Sergipe não tem uma programação apenas ligada a praias.

Na Reserva Boa Luz, por exemplo, existe uma estrutura muito bacana para quem vai com crianças, inclusive, pasmem, com um zoológico no local e parque aquático com piscina de ondas.

O estado conta também com o Mundo Maravilhoso da Criança, com dezenas de brinquedos e mais uma infinidade de quadras e espaços para diferentes atividades. Já para quem quer mergulhar na cultura local, é preciso levar os pequenos para conhecerem o Mercado Municipais e o Museu da Gente Sergipana, onde vão encontrar desde artesanatos até comidas da região.

O ESTADO DOS RESORTS

A família de Danielle optou pelo azul do mar de Alagoas. (Crédito: Arquivo pessoal)

Quando se pensa em Alagoas, um dos primeiros locais que vem à mente é Maragogi. Paraíso com resorts espetaculares, o local tem uma infinidade de atrações para os pequenos. Mas nem todo mundo procura os resorts para curtir a cidade. Danielle Mussi Meirelles, mãe de Miguel, de 16 anos, Giovanna, de 14, Victor, de 10 e Gabriel, de apenas 2 anos, conta que, ao decidir levar os filhos para curtir as férias por lá, optou por alugar uma casa dentro de um condomínio pé na areia e foi incrível. “Ficar em um resort é uma delícia, mas acabamos não saindo do local. Então, como eu queria conhecer tudo em detalhes com meus filhos, alugamos uma casa. E realmente foi muito legal”, conta. Uma das atrações que ela recomenda é o passeio de barco que vai até os recifes de corais. “Mas indico que chequem as marés antes de viajar, pois elas ditam as possibilidades de passeios, assim como determinam o azul do mar. Então, já sabendo disso, não há frustração”, sugere. Durante o passeio, o guia fornece petiscos para que os peixinhos cheguem até o barco e, é claro, os pequenos adoram a experiencia. “Meu filho se 2 anos ficou maravilhado com essa cena. E os maiores com os mergulhos de snorkel. A beleza de Maragogi é realmente o seu ponto alto. Todas as praias são sensacionais e com águas quentes, cristalinas e calminhas”, comenta.

Outra dica de Danielle é o passeio de bugre na praia do Antunes, onde alguns quiosques fazem day use com direito a piscina com boias e brincadeiras para os pequenos. “Passamos um dia em Barra Grande também, em uma praia coladinha a Antunes. O local tem boa infraestrutura, restaurantes aprazíveis e a beleza do mar. Por lá, as crianças maiores tinham à disposição aquela banana puxada por um jet ski e bicicleta na água. Para os adultos, há balanços românticos pra tirar foto também”, complementa.

Já em Maceió, a orla de Pajuçara é muito bem servida de lanchonetes e restaurantes. “Na praia de Pajuçara, havia aquela bolha que a criança entra e flutua sobre a água. Bem legal! Além disso, cada quisque tinha mini parquinhos muito bem montados e estruturados. Todos os anos, eu e meu marido planejamos uma viagem com os filhos. Essa viagem era pra ter acontecido em 2020, mas por causa da pandemia foi postergada pra outubro de 2021. Amamos o Nordeste. Antes dessa, já estivemos com eles em Natal, Pipa e João Pessoa e pretendemos voltar ano que vem pra conhecer o Maranhão”, planeja Danielle.

TERRA DO FREVO

Carolina e Teresa aproveitaram Pernambuco. (Crédito: Arquivo pessoal)

A turismóloga Carolina Pera, mãe da pequena Teresa, que acabou de completar 2 anos, conta que Pernambuco tem muita atração bacana para os pequenos, a começar pelas praias. “Carneiros e Porto de Galinhas são algumas que as crianças vão adorar. Em Carneiros, inclusive, tem banho de lama, que é sucesso entre a garotada”, comenta.

Outra dica dela é o passeio pelas artes e coleções oriundas do estado. “Dois locais que creio serem imperdíveis, tanto para crianças quanto para os pais, são os que foram habitados pelos irmãos Brennand. No Instituto Ricardo Brennand, que é um castelo tido como uma instituição cultural, há um acervo permanente artístico e histórico originário da coleção particular do industrial pernambucano Ricardo Coimbra de Almeida Brennand, além das exposições temporárias. O espaço em si já vale a visita, mas ainda há lago e bastante área para as crianças correrem no lado de fora. O interior deve despertar bastante o interesse dos pequenos, com grandes coleções, armaduras, esculturas e quadros. Já o irmão Francisco Brennand possuía uma oficina de arte. O espaço promete ser a visita lúdica ideal para qualquer idade. São cerca de 2500 obras espalhadas pelo local. Muitas esculturas ao ar livre, têxtil, escrituras, murais e pinturas”, pontua.

Também não pode ficar fora do roteiro a ser visitado no estado as ladeiras de Olinda e sua linda vista do topo. “O local é um exercício para grandes e pequenas pernas. Por lá, caminhar por suas ruas e se encantar com as casas coloridas pode ser bastante divertido”, complementa. Um detalhe bastante interessante, e que muitos roteiros deixam de fora, é um passeio pela região central, como qualquer turista de fora do país costuma fazer (e nós mesmos quando vamos para outros países). “É importante darmos uma atenção a essa região, aos marcos zero dos locais. Em Recife, por exemplo, na praça Rio Branco você tem uma visão linda da praia, das distâncias dos locais, da vista da cidade no geral e dos prédios históricos. E, de quebra, dá para ver e ir com um barquinho até o Parque de Esculturas Francisco Brennand”, conclui.

Também em Recife está o Paço do Frevo, centro cultural da cultura do frevo. Inaugurado após a declaração do frevo como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco, o Paço oferece às famílias a oportunidade de experimentar a história desta expressão cultural, visitando exposições fotográficas, conferindo projeções visuais, reverenciando o acervo de estandartes e flabelos de agremiações tradicionais, entre diversas outras possibilidades. Parte do complexo turístico das cidades de Recife e Olinda, o prédio possui quatro pavimentos distribuídos em espaços de exposição, um Centro de Documentação e Pesquisa, uma Escola de Música, uma Escola de Dança, além de um estúdio de gravação e uma sala de web-rádio.

MUITO ALÉM DOS ‘CACTOS’

Beatriz aproveitou a Paraíba com os filhos. (Crédito: Arquivo pessoal)

Se a Paraíba ficou ainda mais conhecida com a vencedora do BBB deste ano, Juliette, e seus famosos seguidores, é bom dizer que o estado, especialmente João Pessoa, já é um destino famoso por quem busca diversão e cultura, inclusive com crianças. Beatriz Leite, mãe de Alice, Tomás e Dante, de 9, 7 e 4 anos, escolheu passar as próximas férias no Nordeste. Acostumada a levar as crianças para os mais diferentes destinos pelo mundo, a escolha para o final deste ano aconteceu pela paixão dos filhos pela natureza. “Escolhemos Natal para andar de dromedário, buggy pelas dunas, 4x4 na Rota dos Nativos, fazer skibunda, tirolesa, mergulho nos Galés de Maracajaú e observar golfinhos. Mas resolvemos incluir também João Pessoa para conhecermos a terceira cidade mais antiga do Brasil e suas lindas praias. Além disso, há também o Ponto do Seixas, que é o ponto mais oriental das Américas”, conta.

E a Paraíba tem muito mais atrações legais para os pequenos. No Forte de Santa Catarina, em Cabedelo, além de muita história para enriquecer o repertório das crianças maiores, há bastante espaço em seu interior para as menores brincarem. O local fica a cerca de 18km da capital e representa as lutas contra invasores holandeses na época do Brasil Colônia. “Para as crianças que gostam de um suspense, há a história de que uma mulher de branco segue rondando o local ao entardecer como um fantasma”, conta Carolina Pera. Ela indica, ainda, o pôr do sol ao som de Bolero de Ravel, ideal para famílias com crianças que gostam de música. O programa acontece na praia do Jacaré, onde um barquinho leva o saxofonista Jurandy do Sax pelas águas com seu som, enquanto o sol vai indo embora – há também a opção de ver o espetáculo da orla ou embarcar em um dos transportes aquáticos que ficam mais perto do som. O local abriga, ainda, uma feira de artesanato e itens locais, que incluem roupas de algodão e renda para usar em todos os tamanhos.

Outro local indicado por Carolina é o Bosque dos Sonhos, um parque arborizado, com diversas atrações para crianças. Dica boa também é o parque Zoobotânico Arruda Câmara, popularmente chamado de Bica, por virtude de uma fonte natural de água potável que há em seu centro. “Dizem que é um verdadeiro santuário ecológico localizado no centro de João Pessoa. Tem passeio de trenzinho, pedalinho na lagoa e parquinhos diversos. O local possui uma área de 26,8 hectares, a reserva é tombada pelo IPHAEP (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba), é coberto por resquício de Mata Atlântica, e apresenta várias espécies de animais, como elefantes, leões, araras e jacarés. Já na Baía da Traição, o Natureza Parque é outra opção com piscinas e muita flora e fauna para um dia em meio à natureza”, complementa.

E João Pessoa tem, ainda, uma enorme quantidade de praias, como Coqueirinho, Campina, Baía Formosa e Tambaú – essa última especialmente famosa para as famílias com crianças, pelas águas calmas e claras e pela infraestrutura, pois é de fácil acesso e conta com diversos quiosques.

A TERRA DO QUADRICICLO
Sim, é impossível pensar na capital do Rio Grande do Norte sem pensar em andar de quadriciclo pelas várias praias de Natal. E, quando nós fomos, escolhemos fazer esse passeio em Maracajaú, uma praia que adoramos conhecer. Ele é relativamente rápido, mas faz com que as crianças fiquem super empolgadas. Começamos pela praia, fizemos uma parada na Lagoa de Jacumã, com direito à tirolesa e depois fomos para as dunas – inclusive, de acordo com algum medo ou receio da criança ou dos adultos, é possível escolher o nível de aventura, com ou sem emoção.

Outro programa bacana pela cidade é o aquário, com mais de 200 animais de mais de 60 espécies; dentre eles tubarões, peixes, jacarés, pinguins, suricatos, tucanos e hipopótamos. Mas a principal atração do aquário é a possibilidade de passar a mão num tubarão, o que só é possível para os maiores, já que é necessário colocar o braço num tanque. Ah, e uma informação importante: os animais que moram no aquário foram todos resgatados. Legal, né? Ou seja, além de diversão, é possível ensinar para nossos filhos sobre a preservação dos bichinhos que moram nos mares e lagoas e como eles podem ser protegidos, mesmo que às vezes precisem ficar fora de seu habitat.

Outro detalhe importante sobre Natal é que tem o título de "Capital Espacial do Brasil". Isso porque a primeira base de lançamento de foguetes foi inaugurada lá em 1965 e as crianças amam conhecer o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, que conta com várias réplicas de foguetes, além de radares meteorológicos e mísseis. Já para os maiores de seis anos, um passeio indispensável é o de lancha até uma plataforma flutuante que fica a 7km da costa. Mergulhamos com muitos peixes e tivemos uma experiência digna de Caribe.

E o estado não tem programação apenas em Natal. Nas areias da Praia de Maracajaú, no município de Maxaranguape, a aproximadamente 60 km da capital, está o Manoa Park, um paraíso para famílias que querem passear com as crianças. Há toboáguas de tirar o fôlego, rios com correnteza para passeios com boias, cascatas artificiais, tirolesa, área infantil e muitas outras atrações para se divertir o dia todo. O parque também conta com uma área de alimentação. Uma boa dica é reservar um dos chalés do Manoa Park para descansar à noite e aproveitar um bom café da manhã no dia seguinte.

Já a famosa Pipa está a aproximadamente 85 km de Natal, no município de Tibau do Sul e é um dos mais agradáveis passeios para se fazer com as crianças. No local, há um conjunto de praias, piscinas naturais, dunas e passeios de barcos – há, também, barcos na Baía dos Golfinhos que levam as famílias para esse paraíso transparente, onde os golfinhos fazem o espetáculo. E bem próxima há também Parnamirim, a cidade que abriga uma das grandes maravilhas do mundo, o cajueiro de Pirangi, que tem mais de 100 anos e ocupa incríveis 8.500 metros de extensão. Apesar da idade, o cajueiro continua oferecendo mais de uma tonelada de frutas em certas épocas do ano. Para você ter a dimensão exata do tamanho dessa árvore, existe um mirante aberto à visitação.

E não poderia esquecer do Parque das Dunas, uma reserva natural que tem boas opções de trilhas, parque infantil, quadra de esportes, lago com peixes, oficina de educação ambiental e ciclovias.

DIVERSÃO CERTA PARA TODAS AS IDADES

Rafa se divertiu bastante no Ceará. (Crédito: Arquivo pessoal)

Se existe um lugar que dispensa apresentações é o Ceará. Destino queridinho de todas as idades, o estado tem uma das atrações mais pedidas pelas crianças durante as férias, o famoso Beach Park. Mas o local tem mais, muito mais. Isabela Hansen, mãe de Rafaela, hoje com 14 anos, levou a filha para conhecer as maravilhas do Ceará quando ela tinha apenas 8 anos. E o mais incrível: a escolha do destino foi da menina. "Eu sempre fazia festa no aniversário dela em casas de festa aqui no Rio. Aí, quando ela chegou aos 7 anos, eu disse que seria a última vez, que a partir do ano seguinte ela escolheria um local para viajarmos. Ela nem titubeou. Na mesma hora disse que não queria saber de Disney, que normalmente é a primeira escolha da garotada dessa faixa etária, e que sua vontade era conhecer o país dela. Assim mesmo, com essas palavras", conta.

Além da escolha do estado, foi Rafaela também que determinou o roteiro da viagem. "Em Cumbuco, eu queria muito fazer o skibunda, que é super divertido fazer e assistir aos outros também. No final, a gente cai em uma lagoa doce gigantesca e é muito bom. Em Canoa Quebrada tinha uma praia incrível, super tranquila e os bares ficavam na água. Já em Crocobeach tem um parque aquático com tema de jacaré, com decoração em formato de crocodilo", complementa a adolescente, que também conheceu o Beach Park.

PARA OS AVENTUREIROS E AMANTES DA NATUREZA
Conhecido pelos parques nacionais que ficam em seu território, o Piauí é o destino ideal para as famílias com crianças que amam a natureza e aventura. Por lá, estão o Parque Nacional Serra da Capivara, que tem a maior e mais antiga concentração de sítios pré-históricos da América, e fica nos municípios de Canto do Buriti, Coronel José Dias, São João do Piauí e São Raimundo Nonato; o Parque Nacional Serra das Confusões, em Gilbués, com suas gigantescas formações rochosas e grandes áreas de caatinga (vegetação semiárida), onde vivem aves em risco de extinção; o Parque Nacional das 7 Cidades, em Piracuruca e Brasileira, que tem esse nome por causa das sete formações rochosas do local, que dão a impressão de sete conjuntos de ruínas desoladas; entre outros locais igualmente fantásticos.

Na capital, Teresina, as mangueiras estão por toda parte, especialmente à beira-rio. E um dos passeios que não podem ficar de fora é o encontro dos rios Poti e Parnaíba. Outro local que chama a atenção é a Barra Grande. “O lugar é belíssimo, e não apenas pelas areias brancas e o mar calmo de água cristalina, mas também pela tranquilidade que essa vila praiana oferece. Lá também é point da galera do kitesurfe, tem boa estrutura hoteleira e excelente gastronomia para quem gosta de frutos do mar. As crianças que curtem esse contato com a natureza certamente vão amar. Há também os rios e mangues, além da Ilha dos Cavalos Marinhos, onde os pequenos vão se divertir muito conhecendo esses fantásticos animaizinhos que escolheram os rios de Barra Grande para seu habitat”, comenta Vanessa Carvalho, da VC Tours Viagens e Turismo, que tem pacotes para a região.

Ela destaca, ainda, a Rota das Emoções com mais praias, como as da cidade litorânea de Luiz Correia, lugar ideal para relaxar longe da agitação das cidades grandes e para os que querem se aventurar em esportes aquáticos – por lá, há também a Praia dos Arrombados, que é um berçário natural da Tartaruga de Pente, que entre os meses de fevereiro e abril faz sua desova. Vanessa lembra, ainda, outro destino que não pode ficar de fora de quem vai ao Piauí com crianças, Mambaí, que tem passeios como a Cachoeira Paraíso, a Caverna Lapa das Dores, a Cachoeira do Alemão e a Cachoeira Paraiso do Cerrado. Porém, por lá, enfatiza, é preciso ter um guia.

PODE PARECER UM DESERTO, MAS NÃO É

Quem já foi ao Maranhão, jura que não há destino mais perfeito no estado que os Lençóis Maranhenses.  O lugar onde nasceu Alcione, Pablo Vittar e Zeca Baleiro, porém, tem mais, muito mais a mostrar. Para começar, é claro, vamos falar sobre o Parque Nacional Lençóis Maranhenses, que fica próximo à cidade de Barreirinhas e quase 260 quilômetros de São Luís. O local, considerados um dos destinos mais lindos do Brasil, tem grandes dunas de areia branca que criam paisagens que remetem a um deserto. Entretanto, durante a temporada de chuvas, são encontradas também lagoas de água fresca, onde é possível, inclusive, nadar. “A alta temporada dos Lençóis Maranhenses acontece logo após o período intenso de chuvas, entre maio e setembro. Já entre outubro e dezembro, quando a maioria das lagoas secam, a paisagem muda completamente, tornando-se um imenso deserto. Mas no período de férias, a partir de janeiro, as chuvas, ainda que mais espaçadas, já começam a aparecer e a encher as lagoas, tornando o lugar um paraíso”, comenta Vanessa, da VC Tours Viagens e Turismo.

Ela lembra, ainda, outros passeios que podem ser feitos por lá, como andar de quadriciclo pelas areias; ver o pôr do sol da maior duna do local, que tem aproximadamente 80 metros; pegar um voo para sobrevoar os lençóis; ou fazer um passeio de boia para descer no rio Formiga. “Se eu fosse escolher um local apenas no Maranhão para levar as crianças seria para lá. As crianças vão amar brincar em enormes dunas de areias branquinhas; passear de quadriciclo pelos pequenos lençóis e pela beira da praia; mergulhar nas lagoas mais distantes e isoladas do Parque Nacional; flutuar em boias pelo rio; fazer emocionantes passeios de lancha pelos rios que cortam a região; almoçar em um restaurante nativo”, complementa.

Mas além da diversão nas areias, na capital São Luís há inúmeras opções para levar as crianças, como o Palácio dos Leões, o Teatro Arthur Azevedo, a Igreja da Sé, o Centro Histórico de São Luís, o Museu Histórico e Artístico do Maranhão, a Casa de Nhozinho, entre outros pontos. Outro programa bacana é visitar o Delta da Parnaíba até Jericoacoara, conhecido como Rota das Emoções, um circuito que passa pelos principais pontos turísticos do litoral do Maranhão.

*PRISCILA CORREIA é jornalista, especializada no segmento materno-infantil. Entusiasta do empreendedorismo materno e da parentalidade positiva, é criadora do Aventuras Maternas, com conteúdo sobre educação infantil, responsabilidade social, saúde na infância, entre outros temas. Instagram:@aventurasmaternas