AnaMaria

Dor: qual é o momento de procurar a ajuda de um fisioterapeuta?

Diagnóstico do especialista vai tornar tratamento muito mais eficiente

*Bianca Vilela, colunista de AnaMaria Publicado em 26/08/2021, às 08h00

Sentir dor não é normal! - Afif Kusuma/unsplash
Sentir dor não é normal! - Afif Kusuma/unsplash

Fala meu povo da AnaMaria, tudo bem? Quando o assunto é fisioterapia, o ideal mesmo é atuar na prevenção de lesões. Mas é muito comum que a gente procure a ajuda desses especialistas quando a dor já está presente em nossas vidas.

Insisto, porém, que não podemos nos acostumar com as dores que vão chegando, pois quando falamos em longevidade, nos referimos a uma vida sem limitações. E, para isso, a promoção e manutenção da saúde e do bem-estar devem estar em primeiro lugar!  

DE OLHO NESSE MOVIMENTO!
As abordagens da fisioterapia integram uma avaliação criteriosa pautada no diagnóstico do movimento, com o intuito de melhorar condições específicas e prevenir alterações relacionadas ao movimento. Em resumo: não podemos perder os movimentos!

Infelizmente, no entanto, vejo muita gente com essas limitações devido a um estilo de vida pouco ativo. E o diagnóstico ajuda os fisioterapeutas a estabelecerem uma relação dos sintomas, utilizando o seu raciocínio clínico para um tratamento mais eficiente.

Sobre isso, Philippe Souchard (2011), fisioterapeuta francês criador da reeducação postural global (RPG), afirma que “únicos nós somos e assim continuamos na instalação das patologias; cada um vai reagir de maneira pessoal às agressões maciças, físicas ou psíquicas, e justamente por isso não temos duas patologias idênticas”. Somos seres integrados, corpo e mente conectados!

Segundo o grande fisioterapeuta Ricardo Regi, campeão olímpico da seleção brasileira de voleibol feminino em Pequim, somos seres complexos, mas é justamente nessa complexidade que está a nossa beleza. Podemos lembrar que cada elemento que constitui o ser humano faz parte de um todo. Como somos indivisíveis dos fatores físicos e mentais, o que atinge nosso físico pode afetar nossa mente e vice-versa, como se fosse uma via de mão dupla.

"Infelizmente, por diversos motivos, nos preocupamos muito mais em cuidar das doenças do que em preservar a nossa saúde. Justamente por essa cultura da doença, muitas pessoas vão procurar ajuda de um fisioterapeuta, de um médico, de um educador físico, de um nutricionista e/ou de um psicólogo apenas quando já estão com uma patologia instalada. Portanto, no meu entendimento, precisamos mudar essa lógica e incentivar, cada vez mais, o cuidado com a preservação da nossa saúde, e não somente com a perpetuação das nossas doenças", afirma o especialista.

QUANTO MAIS RÁPIDO, MELHOR!
De um modo ou de outro, todos cometemos alguns erros que prejudicam tanto a saúde física global. Ricardo Regi alerta que, quanto mais rápido esses equívocos forem identificados, melhor será o prognóstico e maiores serão as chances de fazer a correção e prevenir futuros problemas. E Esse exemplo serve para todas as patologias. 

Quanto mais precoces forem o diagnóstico e o início do tratamento, maior será a chance de remissão dos sintomas e das queixas. Parece óbvio, mas não é isso que observamos na nossa prática do dia a dia. O que vemos são pessoas que não entendem ou não sabem interpretar os sinais que nosso corpo nos dá a todo momento. 

De um modo geral, se antes falávamos que era preciso praticar um esporte a fim de entrar em forma, hoje falamos que é preciso entrar em forma para podermos praticar atividade física de forma segura e prazerosa. Assim, é cada vez mais importante se manter em movimento e trabalhar o corpo de forma saudável e respeitosa.

Para isso, creio que uma visita precoce ao fisioterapeuta é muito bem-vinda, justamente para atuar na prevenção e identificar os possíveis fatores de risco de lesão. A famosa frase “é melhor prevenir do que remediar” nunca foi tão atual, pois prevenir é muito mais vantajoso e mais barato para todo o sistema de saúde.

E claro, não deixe de assistir ao vídeo que preparamos com todo amor para você! Corra lá nas redes sociais da AnaMaria. Te espero lá!!

*BIANCA VILELA é autora do livro Respite, mestre em fisiologia do exercício pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), palestrante e produtora de conteúdo. Desenvolve programas de saúde in company em grandes empresas por todo o país há mais de 15 anos. Em AnaMaria fala sobre saúde no trabalho, produtividade e mudança de hábitos. Instagram: @biancavilelaoficial