AnaMaria
Dinheiro / Dívidas

Cartão de crédito: a forma de pagamento é vilã ou aliada?

Fuja do pagamento do valor mínimo da fatura

Da Redação Publicado em 01/01/2021, às 08h00

O cartão de crédito pode ajudar a organizar a entrada e saída de dinheiro da conta - Jan Vasek/Pixabay
O cartão de crédito pode ajudar a organizar a entrada e saída de dinheiro da conta - Jan Vasek/Pixabay

“Ando com o orçamento apertado para pagar a fatura do cartão de crédito. Optar pelo pagamento mínimo é uma boa saída?” S. M., por e-mail. 

Se todas as vezes que você recebe a fatura do cartão de crédito leva um susto, é preciso repensar algumas atitudes, afinal, nem sempre ele precisa ser ou é o verdadeiro vilão. Sendo utilizado de forma inteligente, ele pode ser um bom instrumento para a organização financeira pessoal

O cartão de crédito pode ajudar a organizar a entrada e saída de dinheiro da conta, o famoso fluxo de caixa, e ainda fornecer alguns benefícios, como descontos em estabelecimentos, além de milhas que podem ser trocadas por viagens ou produtos. Hoje em dia, inclusive, muitos cartões sequer cobram anuidade. 

O perigo mora em fazer desse recurso uma extensão do seu salário e ter a falsa impressão de que ainda há dinheiro para ser gasto, contabilizando o limite liberado pela instituição bancária. Seguir no automático e fazer pequenas compras com frequência, por exemplo, também pode se tornar uma grande e cara armadilha. 

Os pequenos valores somados no fim do mês, como compras por aplicativos de delivery ou aplicativos de transporte, chegam a representar uma grande parcela da renda no fim do mês, podendo atrapalhar a conquista dos seus objetivos. A palavra de ordem é: controle os seus gastos. 

Porém, não só anotando todos eles, mas também planejando com antecedência tudo que vai gastar. Saiba quanto do seu orçamento mensal já está comprometido com compras parceladas e, para isso, existem muitas formas, desde as anotações em caderninhos, planilhas eletrônicas, até aplicativos financeiros. 

E fuja do pagamento do valor mínimo. Inicialmente, isso pode parecer uma boa ideia, mas, assim, há o risco de perder o controle da dívida. Então, o cartão se tornará um grande transtorno em sua vida. 

LUCIANA IKEDO @lucianaikedo Assessora de investimentos, especialista em finanças e educadora financeira, com 24 anos de experiência nas áreas e certificações CFP® e CPA 20. Possui MBA Internacional em Gestão Empresarial pela FGV, em International Strategic Business.