Modelo revela rixas com influenciadoras digitais nas passarelas: ''Faziam coisas para prejudicar''

Dani Pontes viu de perto as transições de modelos digitais como Kendall Jenner e Gigi e Bella Hadid

Da Redação Publicado sexta 25 junho, 2021

Dani Pontes viu de perto as transições de modelos digitais como Kendall Jenner e Gigi e Bella Hadid
A modelo Danielle Pontes - Black Comunicação/ Osklen

Com uma sólida carreira internacional, a modelo carense Danielle Pontes despontou na indústria da moda há cerca de seis anos e viveu várias fases, temporadas e coleções do mundo fashion. Na semana da São Paulo Fasion Week, ela conta algumas fases que viveu no trabalho, principalmente com a chegada das chamadas "modelos digitais", caracterizadas pelas influenciadoras famosas. 

“Vi de perto esse impacto da internet na moda. Era minha primeira Fashion Week em 2015, em Nova York, e as modelos que vinham do digital, filhas de famosos, estavam surgindo, como Kendall Jenner, Gigi e Bella Hadid. As modelos que faziam muitos desfiles e eram recordistas de temporadas estavam acostumadas a ter todos os holofotes. Porém, com o 'boom' do Instagram, as meninas com mais influência digital foram tomando esse espaço. Por isso, existia uma rixa muito grande entre elas nos bastidores”, conta à AnaMaria Digital.

“A atenção da imprensa, de repente, estava totalmente voltada para as mais novas. Assim, as modelos que estavam nesta carreira batalhando há anos ficaram bem revoltadas, chegavam a fazer coisas para prejudicar as modelos digitais. Mas eu sempre apoiei muito a diversidade na moda e nas passarelas”, aponta.

Atualmente, muita coisa mudou e a diversidade tem sido a palavra da vez no que diz respeito aos desfiles: “Fico feliz que tantos aspectos tenham evoluído. Podemos ver modelos de todos os tipos ganhando espaço e notoriedade, mostrando que somos muitos e diversos, abrangendo e ampliando a moda cada vez mais”.

COVID-19 NAS PASSARELAS

Dani viu a rotina profissional mudar completamente devido à pandemia do coronavírus. Nos primeiros meses, seu trabalho na moda ficou praticamente paralisado. Na sequência, os desfiles presenciais foram substituídos pelo formato virtual – o que possibilitou novas maneiras de explorar sua atuação como modelo. 
 
Ela conta o que tem achado dessa mudança. “Apesar de sentir saudades da correria e da troca que tínhamos no backstage, acho que nesse formato você tem mais tempo para elaborar os desfiles e também dá mais oportunidade para pessoas de outros lugares assistirem. Particularmente estou adorando”, afirma ela, que é agenciada pela Way Model, mesma agência de nomes como Alessandra Ambrósio

A modelo lista quais desfiles está mais animada para acompanhar para a São Paulo Fashion Week, que acontece entre os dias 23 e 27 deste mês em uma edição totalmente digital. Ela irá desfilar pela marca Misci.

“É uma marca muito chic do meu amigo Airon Martin. Tive o prazer de desfilar para eles nessa temporada, já gravamos o material. Eles enaltecem tudo o que há de melhor no nosso país. Além disso, também estou ansiosa para ver a estreia do Ateliê Mão de Mãe, que vem de Salvador e surgiu na pandemia. Eles fazem um crochê lindo, mais uma vez exaltando o Brasil", opina.

Último acesso: 25 Nov 2021 - 16:31:07 (1146831).