Pamella Holanda se pronuncia pela primeira vez após soltura de DJ Ivis: ''Não me sinto segura''

Músico esta preso há três meses devido às acusações de agressão doméstica

Da Redação Publicado sábado 23 outubro, 2021

Músico esta preso há três meses devido às acusações de agressão doméstica
Pamella Holanda lamenta decisão da justiça - Instagram/@djivis e @pamellaholanda

Pamella Holanda foi às redes sociais, neste sábado (23), se pronunciar pela primeira vez após a soltura de DJ Ivis. O produtor musical estava preso há três meses devivo às agressões domésticas contra a ex-esposa e foi solto, na última sexta-feira (22), em Fortaleza (CE). 

Após ser pega de surpresa com a notícia, Pamella usou os Stories do Instagram para tranquilizar os seguidores: "Obrigada a todas as mensagens de apoio, carinho e principalmente preocupação comigo e com minha filha Mel. Estamos bem na medida do possível". 

Em seguida, a loira afirmou que não se sente segura com a decisão da justiça. "Obviamente não me sinto segura nem plenamente satisfeita com os atuais fatos, mas eu preciso honrar com os meus compromissos profissionais e continuar com minhas obrigações pessoais, tomando todas as medidas possíveis por segurança. Não só física, mas emocional".

Em nota, a defesa da influenciadora garantiu que as medidas protetivas contra o produtor musical continuam. Sendo assim, Ivis está proibido de ter qualquer contato ou convivência com Pamella e seus familiares: "Estamos trabalhando para resguardar os direitos desta e da filha do casal". 

"Mais do que na Justiça, confiamos em Deus. Que tem nos sustentado, dado forças e nos iluminado em todo e qualquer passo que damos. Eu e Mel somos uma", finalizou a ex-esposa do músico. 

O CASO

Vale lembrar que, em meados deste ano, foram divulgados uma série de vídeos em que o famoso aparece agredindo a ex. Alguns deles, inclusive, na presença da filha de nove meses do casal. O caso gerou revolta nas redes sociais e resultou na prisão de Ives em 14 de julho. Na época, a denúncia apresentada à Justiça apontava que ele cometeu violência física, psicológica, patrimonial e moral contra Pamella. 

Três meses depois, a liberdade foi concedida ao agressor pela Vara Única da Comarca de Eusébio após sete pedidos de habeas corpus apresentados pela defesa. O último negado foi dado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, em 31 de agosto, sob a justificativa de “resguardar a integridade física e psicológica da vítima que se encontra em situação de violência doméstica, como é o presente caso". 

 

 

 

,

Último acesso: 04 Dec 2021 - 18:50:47 (1151428).