AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Bolsonaro organiza radicais para “guerra” no dia 7 de setembro

O presidente confirmou que o alvo será o Tribunal Superior Eleitoral

Da Redação Publicado em 07/06/2022, às 14h52

Com a manifestação, Bolsonaro quer descobrir de que lado o povo está - Unsplash/Matheus Câmara da Silva
Com a manifestação, Bolsonaro quer descobrir de que lado o povo está - Unsplash/Matheus Câmara da Silva

Jair Bolsonaro (PL) convocou seus apoiadores para irem à guerra “por liberdade” no 7 de setembro, dia da Independência do Brasil.

Em entrevista ao SBT, o presidente disse que isso significa que novas manifestações ocorrerão no feriado deste ano, assim como no ano passado, em que o bolsonarismo se mobilizou por um golpe militar no país.

Jair Bolsonaro disse que a manifestação serve para mostrar “de que lado o povo está”: “Eles querem aproveitar a data, do 7 de setembro, para ter uma grande concentração nas capitais. Vai ser um 7 de setembro e também um apoio a um possível candidato que esteja disputando”.

“E isso está mais do que claro. É uma demonstração pública de que grande parte da população apoia um certo candidato, enquanto o outro lado do outro candidato não consegue juntar gente em lugar nenhum do Brasil”, comentou o presidente sobre a organização da manifestação.

Ele ainda informou quais serão os alvos da ofensiva: Edson Fachin, o atual chefe do TSE, e Alexandre de Moraes, o futuro presidente do tribunal. Como justificativa, Bolsonaro voltou a contar a fake news de que há uma sala-cofre na Justiça Eleitoral na qual se manipula o resultado da eleição.

“No meu tempo ganhava eleições quem tinha voto dentro da urna. Agora parece que quer que ganhe eleições quem tem um amigo pra contar esses votos dentro da sala-cofre”, disse o pré-candidato do PL.

{# Taboola Newsroom #}