AnaMaria

Bruna Marquezine revela que sofreu com depressão aos 17 anos: ''Momento difícil''

Atriz contou durante live como lidou a doença psiquiátrica

Da Redação Publicado em 12/05/2020, às 08h07 - Atualizado em 25/06/2020, às 23h14

Bruna Marquezine usou a fé e a terapia para lidar com a depressão - Instagram/@brunamarquezine
Bruna Marquezine usou a fé e a terapia para lidar com a depressão - Instagram/@brunamarquezine

Bruna Marquezine abriu o coração e fez um desabafo sobre sua adolescência. Durante uma live com o jornalista Bruno Astuto, na última segunda-feira (11), a atriz revelou que sofreu com depressão, aos 17 anos, em razão de sua imagem. Além disso, a morena contou como lidou com o momento. 

Ela atribuiu a doença psiquiátrica à sua exposição, já que desde pequena ela atribuiu os olhares do público por seu trabalho como atriz. "Passei por momentos difíceis. Eu me via muito através do olhar do outro. Crescer exposta faz com que você comece a condicionar seu olhar ao olhar do outro."

Em seguida, Bruna contou a relação entre sua fé o seu bem-estar emocional. "Deus sempre foi uma realidade na minha vida. É interessante falar desses dois assuntos: fé e terapia. Porque muitas vezes eu ouvi dentro da igreja que a minha depressão ou a minha situação era falta de fé e falta de oração", desabafou. 

"Se você ouviu isso, se você está passando por um momento delicado como esse: não acredite nisso. Acredito que Deus capacitou profissionais para que nós possamos aqui nos ajudar. A terapia me transformou. Transformou de verdade a minha vida, a minha saúde mental", destacou. 

Para Bruna, os julgamentos do público e outras causas internas foram as razões para que ela tivesse depressão aos 17 anos. Ela contou que também sofreu com distúrbio de imagem e distúrbio de alimentação por causa dos padrões impostos pela sociedade. "Enfim, foi um momento difícil e muito delicado."

RECUPERAÇÃO

Bruna relatou ter recorrido à terapia, que a ajudou a lidar com a fase ruim. "Óbvio que a minha fé teve um papel importantíssimo. São coisas que se complementam."

Ela, no entanto, não se considera uma pessoa religiosa, mas de muita fé e que trabalha a espiritualidade com Deus. "Acho que todo mundo deveria trabalhar isso, não importa no que você acredita."